ESPORTES

Santos elimina o Palmeiras nos pênaltis e está na final

Santos elimina o Palmeiras nos pênaltis e está na final
24/01/2010 06:44 -


Com a vitória nos pênaltis, depois do empate por 3 a 3 com o Palmeiras, o Santos garantiu a sua vaga na decisão da Copa São Paulo de Futebol Júnior. A final será contra o São Paulo, que eliminou o Juventude na outra semifinal disputada na sexta- feira. A partida valendo o título será às 9h de amanhã, dia do aniversário da cidade, no Pacaembu. O Santos, apresentando um bom toque de bola, abriu o placar aos 25 minutos. Alan Patrick cobrou falta da entrada da área com categoria: a bola bateu no travessão e entrou. Foi o quarto gol do jogador nos últimos três jogos do Santos na Copinha. A pa r t id a cont i nuou aberta no segundo tempo, com o mesmo panorama: o Palmeiras tentava pressionar, apesar de certa lentidão no meio campo, e o Santos levava perigo em contra-ataques. Aos 21 minutos, veio o segundo golaço do time da Vila. Renan Mota recebeu passe de calcanhar de Alan Patrick e soltou uma bomba no ângulo direito do goleiro, e a bola, mais uma vez, bateu no travessão antes de entrar. O Palmeiras reagiu rapidamente beneficiado pela expulsão de Alan Fernando aos 25. E chegou ao gol três minutos depois de ficar com um jogador a mais em campo. Patrick arriscou chute de longe, e a bola passou por cima do goleiro Rafael, em sua primeira falha na partida. Aos 37 minutos, Tiago fez 3 a 1 para o Santos, e deu a impressão de que acabaria com a reação do rival. No entanto, o Palmeiras continuou atacando e conseguiu o empate com dois gols nos últimos minutos. Gabriel Silva fez aos 42, em chute de fora da área, e Patrick marcou de peixinho, aos 44. Nos pênaltis, Alan Patrick, Alemão, Tindurim, Tiago e Renato marcaram para o Santos. Francinei, Gilsinho, Gabriel Silva converteram as cobranças do Palmeiras. Ramos chutou para a defesa de Rafael.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".