Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORREIO VEÍCULOS

Boleia de passeio: Mercedes-Benz Accelo 1316 6x2

Agora com câmbio automatizado mostra porque chegou com tudo nas linhas de caminhões leves e médios
25/03/2020 05:30 - Luiz Humberto Monteiro Pereira/AutoMotrix


 

Há sete anos, os câmbios automatizados chegaram aos caminhões pesados brasileiros e desde então não param de ganhar espaço no mercado nacional. Hoje, são praticamente 100% no segmento de pesados e predominam nos semipesados. Nos segmentos de caminhões leves e médios, a Mercedes-Benz saiu na frente ao ser a primeira a oferecer no Brasil, em julho de 2019, o Accelo com opção de transmissão automatizada. Desde então, a demanda pelos novos automatizados da linha crescem permanentemente. O câmbio totalmente automatizado dos caminhões Accelo foi desenvolvido em parceria com a Eaton e é um item opcional para a linha Accelo, que continua contando com as versões de câmbio manual. Para o médio 1316, é a versão Eaton 6206ª, com 6 velocidades. O câmbio automático é opcional e custa cerca de R$ 8 mil – valor elevado, mas que se dilui nos quase R$ 250 mil do preço do caminhão.

De acordo com a Mercedes-Benz, a grande vantagem das transmissões automatizadas é a otimização do consumo de combustível, pois o câmbio tem potencial para reduzir as diferenças de condução entre os motoristas, fazendo com que a média de consumo da frota melhore significativamente. Pelos dados da fabricante, no caso do Accelo, a redução de consumo de combustível pode atingir até 3% em operações urbanas, além de aliviar o estresse do motorista e tornar a condução muito mais segura. Ainda segundo a engenharia da Mercedes, o câmbio automatizado prolonga a vida útil da embreagem, reduzindo em muito o custo de manutenção e a operação do veículo. Este ano, o médio 1316 6x2 ainda passou a contar com uma nova relação de eixo traseiro nas versões com câmbio automatizado. “Era uma demanda dos clientes. A relação i=3,909 do Mercedes-Benz Accelo proporciona um menor consumo de combustível nas aplicações que intercalam trechos urbanos e rodoviários. Isso em velocidades operacionais até 90 km/h”, informa Ari de Carvalho, diretor de Vendas e Marketing Caminhões da Mercedes-Benz do Brasil.

O modelo médio Accelo 1316 (13 mil quilos de PBT) é equipado com o motor OM 924 LA de 4,8 litros, o mesmo utilizado nos semipesado Atego de 17 toneladas. Conforme a Mercedes-Benz, o motor de 156 cavalos se destaca pela força, economia, robustez e durabilidade. O Accelo 1316 têm o maior torque da categoria, até 62,2 kgfm, e tem as maiores plataformas de carga também. No médio 1316, a diferença na plataforma é até 1,85 metro a mais que seus principais concorrentes, equivalendo a sete metros cúbicos extras de volume de carga. O tanque adicional de combustível de 150 litros eleva para trezentos litros a capacidade total do caminhão, resultando na maior autonomia do segmento. Segundo a Mercedes-Benz, em conjunto com o câmbio automatizado, se revela uma solução interessante para aplicações interurbanas e rodoviárias porque proporciona um melhor planejamento de paradas para abastecimento. 

 
 

Primeiras impressões

Sem dificuldades

São Bernardo do Campo/SP – O médio Accelo 1316 6x2, em sua versão com transmissão automatizada, foi avaliado em um passeio entre a fábrica da Mercedes-Benz no ABC Paulista e a Estrada Velha de Santos, na saída para o litoral. O veículo estava lastreado com cerca de 8,5 toneladas de carga para atingir 13 toneladas de PBTC e a viagem foi feita na ilustre companhia de João Moita, que além de motorista de caminhão com mais meio século de experiência, trabalha para a Mercedes-Benz há mais de quarenta anos e é também o Embaixador da Voz das Estradas – atua como “interface” entre os caminhoneiros e a direção da fábrica. 

No Accelo 1316, o câmbio Eaton conta com dois modos de condução: função Eco (mais econômica) e Power (para situações de subidas de serra e ultrapassagens). A tecla Power no painel faz o câmbio esticar as marchas para entregar mais desempenho em ultrapassagens. O recurso é desligado automaticamente após 10 minutos para não comprometer o consumo. A tecnologia incorpora um sistema que reconhece a inclinação da pista e a carga do veículo para fazer a troca de marcha de forma mais correta, sem “trancos” e adequada de acordo com as condições de pista e do veículo. Vem equipado com auxílio de partida em rampa. Manobrar o caminhão é simples, graças ao seu reduzido círculo de viragem que, conforme a Mercedes-Benz, é até 1,2 metro menor em relação ao dos principais concorrentes. Os espelhos bem posicionados reforçam a segurança das manobras. Além de descansar o pé esquerdo de quem dirige, o câmbio automatizado é complementado em termos de segurança pelo controle eletrônico de tração e pelo assistente de partida em rampa.

A cabine estendida do médio Accelo 1316 6x2 se caracteriza por um prolongamento de 18 centímetros na parte traseira. Com isso, o banco do motorista ganha uma nova posição, recuada em 2,5 centímetros, que amplia o espaço para as pernas. A regulagem do encosto foi aumentada para 25 graus, algo que resulta em maior espaço e melhor ergonomia, principalmente para pessoas de maior estatura. O banco pneumático, oferecido como opcional na versão com cabine estendida, é bastante confortável, tem várias regulagens e oferece um alto padrão de ergonomia. O prolongamento da cabine estendida permitiu a instalação de três porta-objetos atrás dos bancos, obtendo um ganho de volume de 32 litros. Aliado a uma rede na parede traseira, o espaço adicional vira uma alternativa para guardar objetos e bagagens.

Felpuda


As conversas vêm acontecendo muito, mas muito reservadamente mesmo, e dão conta de que suplente poderá receber convocação, assumir a titularidade do cargo e por lá ficar por tempo indeterminado. Como é óbvio, tem gente jurando que nunca ouviu nem sequer falar sobre o assunto. O motivo não seria nada ligado a possíveis atos de irregularidades, mas sim por problemas de ordem pessoal.