LITERATURA

Primeiro conto de fantasia de J.R.R. Tolkien será publicado

"The Story of Kullervo" foi escrito durante os estudos de Tolkien em Oxford, em 1915
12/08/2015 18:46 - FOLHAPRESS


O primeiro conto de fantasia de J.R.R. Tolkien, autor da trilogia "O Senhor dos Anéis", será publicado no Reino Unido pela primeira vez em 27 de agosto, informou o jornal britânico "The Guardian".

"The Story of Kullervo" foi escrito durante os estudos de Tolkien em Oxford, em 1915. Nele, o autor reconta o poema finlandês "Kalevala", no qual o jovem Kullervo é levado à casa do mágico Untamo, que matou seu pai, raptou sua mãe e tenta matá-lo três vezes.

O protagonista é vendido como escravo e seduz sua irmã gêmea por engano, que se mata ao descobrir o que fizeram e leva-o a também cometer suicídio.

Até a edição editada pela HarperCollins, a história só existia em um manuscrito incompleto guardado na biblioteca Bodleian, em Oxford, e em trabalhos acadêmicos. Tolkien o descreveu como "o embrião de sua tentativa de escrever lendas por si mesmo".

No livro "A Companion To J.R.R. Tolkien", o pesquisador Stuart D. Lee compara a prosa do autor em "The Story of Kullervo" com a de "O Silmarillion", vendo o conto como parte estrutural do mundo inventado de Tolkien.

O lançamento de "The Story of Kullervo" segue as edições de textos até então não publicados do autor, como "A Queda de Artur", "Os Filhos de Húrin" e a tradução de "Beowulf".

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".