MÚSICA

Nova versão de 'Zóio de Lula', com Marcelo D2, homenageia Chorão

Nova versão de 'Zóio de Lula', com Marcelo D2, homenageia Chorão
09/04/2019 11:17 - ESTADÃO CONTEÚDO


Uma nova versão de Zóio de Lula - hit do Charlie Brown Jr. lançado em 1999 - foi divulgada nesta terça-feira, 9, com a participação de Marcelo D2, Nação Zumbi, da banda de reggae Maneva e do rapper Hungria e produção de Marcelo Lobato (tecladista d'O Rappa).

Um clipe deve ser divulgado ainda nesta terça, segundo a gravadora Universal. Um EP com a gravação original da música (presente no disco Preço curto... Prazo longo - 1999) e a nova versão chegou às plataformas também nesta terça. A capa é um desenho que o próprio Chorão fez para divulgar o single na época.

O lançamento faz parte de uma série de homenagens que a gravadora prepara para Chorão, Alexandre Magno Abrão, vocalista do Charlie Brown Jr., encontrado morto no dia 6 de março de 2013, em São Paulo.

"Sempre fui muito amigo de Chorão", diz Marcelo D2, em comunicado. "A gente teve uma amizade antes das bandas, quando a gente andava de skate. Acho que estava faltando, estava precisando de uma coisa assim nesse momento. Ainda mais participar dessa música com essa rapaziada toda, com a Nação tocando. Foi bom demais", escreveu.

O Charlie Brown Jr. tem 1,2 milhão de inscritos no YouTube e 2,1 milhões de ouvintes mensais no Spotify, onde a banda tem 3,3 milhões de seguidores.

A temporada de lançamentos da gravadora sobre o Charlie Brown Jr começou no último dia 5, quando foi lançado um making of sobre a gravação do single Zóio de Lula, com depoimentos dos músicos.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".