Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CURIOSO

Mulher finge ser cega por 28 anos para não precisar cumprimentar ninguém

Mulher finge ser cega por 28 anos para não precisar cumprimentar ninguém
03/06/2017 12:42 - Mega Curioso


 

história da espanhola Carmen Jiménez vai mostrar para a mais antissocial das criaturas que ninguém no mundo tem tanta aversão de interação humana quanto ela. Basicamente, Jiménez passou 28 anos de sua vida fingindo ser cega só para não precisar cumprimentar as pessoas.

A história que ela contou para todo mundo foi a de que sofreu uma lesão séria nos olhos e acabou perdendo a visão – detalhe: ela contou a mentira inclusive para as pessoas da família dela, argumentando que não suportava mais ter que dizer “olá” para todo mundo.

Recentemente, aos 57 anos de idade, Jiménez revelou que, na verdade, ela nunca ficou cega, deixando seus familiares e amigos em choque – alguns já suspeitavam de que algo estava errado sobre a história de sua cegueira; seu marido, por exemplo, se surpreendia com o fato de que, mesmo cega, a esposa conseguia se maquiar com perfeição.

Não seria mais fácil se passar por míope?

“Eu estava cansada de encontrar as pessoas na rua e parar para dizer olá, eu nunca fui uma pessoa sociável e, fingindo ser cega, eu era capaz de evitar muitas responsabilidades sociais”, disse ela, em declaração publicada no Oddity Central.

A “brincadeira”, além de colocar Jiménez em maus lençóis com seus amigos e familiares, vai causar problemas legais a ela também, já que, ao ter se declarado cega, ela recebeu benefícios financeiros. Isso é que é não ser sociável, hein!

Felpuda


Apesar de ainda fazer certo charme no estilo “se chamar, vou pensar” é praticamente certo que ex-candidato ao governo do Estado nas eleições passadas não participará da disputa pela Prefeitura de Campo Grande. Nos meios políticos é falado que não se trata de “novidade” e que não haverá mais cavalo encilhado passando na sua frente. Ele ainda insinua que poderá voltar em 2022, mas há quem diga que não precisará pensar, pois faltará a tal da “chamada”.