Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 21 de novembro de 2018

CAUSAS NATURAIS

Morre o poeta americano John Ashbery, aos 90 anos, em Nova York

Ele era um dos nomes da chamada Escola de Nova York

3 SET 2017Por FOLHAPRESS18h:55

John Ashbery, um dos grandes autores da poesia moderna americana, morreu neste domingo (3) em sua casa em Nova York, aos 90 anos, de "causas naturais", segundo informou o seu companheiro, David Kermani.

Ashbery era um dos nomes da chamada Escola de Nova York, grupo de artistas dos anos 1950 e 1960, que contava com poetas como Frank O'Hara e Tom Savage.

Elogiado por figuras como Harold Bloom, um dos grandes críticos de seu país, Ashbery levou todos os prêmios literários relevantes dos EUA.

Em 1975, seu livro "Self-Protrait in a Convex Mirror" ganhou o Pulitzer, o National Book Award e o National Book Critics Circle Prize -o poema que dá título ao livro é considerado um dos mais importantes da literatura americana.

O autor nascido em 1927 também ficou conhecido por trazer influências do expressionismo abstrato -e das artes visuais como um todo- para a literatura. Ashbery, aliás, chegou a estudar pintura na adolescência e, mais tarde, também atuou como crítico de arte.

Embora visto como hermético, tornou-se um dos poetas mais conhecidos dos EUA. Às vezes, porém, a dificuldade de sua obra gerava anedotas: o poeta W. H. Auden, por exemplo, que elegeu o livro "Some Trees" (1956) para um prêmio, depois confessou não ter compreendido uma palavra do manuscrito.

A ideia de seus versos, dizia Ashbery, era justamente motivar os leitores a repensar seus conceitos sobre a poesia. Da mesma forma que os expressionistas abstratos faziam com o espectador da pintura.

O autor falava ainda que o melhor jeito de ler sua obra era encará-la como se fosse música. "Palavras, como notas musicais isoladas, quando colocadas juntas, formam um novo significado e, às vezes, toda uma nova sinfonia", afirmava.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também