MISTÉRIO

Joelma, do Calypso, presta depoimento em delegacia

'É problema de casal', afirmou a delegada Rosalina Arraes.
09/09/2015 17:46 - G1


 

A cantora Joelma, da banda Calypso, presta depoimento em uma sala a portas fechadas na delegacia do bairro de Jaderlância, em Ananindeua, na tarde desta quarta-feira (9). A delegada Rosalina Arraes, titular da unidade de polícia, está à frente da ocorrência, mas não informou detalhes sobre o caso, pois, segundo ela, o assunto seria de ordem pessoal. "É problema de casal", disse. Alguns curiosos começam a se aglomerar em frente ao prédio da delegacia, localizada em município da Grande Belém.

Por telefone, a assessora de imprensa da cantora confirmou que Joelma está na delegacia, mas não soube informar o que motivou a ida da artista à unidade policial - se foi a separação do guitarrista Chimbinha, ou outro problema de ordem pessoal. Ainda de acordo com a assessoria, Joelma não está atendendo o telefone.

Fim do casamento
O fim do casamento de Joelma e Chimbinha foi confirmado no último dia 19 de agosto.Segundo um comunicado divulgado pela assessoria de imprensa da banda, "a união de 18 anos deu fruto a dois filhos maravilhosos, projetos e parcerias tanto na vida pessoal quanto profissional, como a Banda Calypso (...) Queremos ressaltar que o respeito, gratidão, amizade, admiração e parceria permanecem recíprocos. Informamos também que os compromissos profissionais da Banda Calypso seguem normalmente com agenda por todo o Brasil", diz o comunicado.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".