VOTAÇÃO

"E Não Sobrou Nenhum" é eleito o melhor livro de Agatha Christie

Enquete foi promovida pelos administradores do patrimônio da autora
01/09/2015 23:00 - FOLHAPRESS


 

"E Não Sobrou Nenhum" foi eleito o melhor livro de Agatha Christie com 21% dos votos em uma enquete promovida pelos administradores do patrimônio da autora, informou a BBC de Londres. "Assassinato no Expresso do Oriente" e "O Assassinato de Roger Ackroyd" ficaram em segundo e terceiro lugar, respectivamente.

A iniciativa comemora os 125 anos da escritora, em 15 de setembro. Cerca de 15 mil pessoas participaram do projeto.

O livro não traz os detetives emblemáticos de Christie, Hercule Poirot e Miss Marple, mas ainda assim vendeu mais de 100 milhões de cópias mundialmente.

"E Não Sobrou Nenhum" conta a história de dez pessoas que não se conhecem e estão presas em uma ilha. Conforme parte do grupo começa a morrer, os sobreviventes percebem que abrigam um assassino entre eles.

O romance foi adaptado para o teatro em 1943 e está sendo produzido como uma minissérie pela BBC, com Aidan Turner, Douglas Booth, Charles Dance, Anna Maxwell Martin, Sam Neill, Miranda Richardson e Toby Stephens no elenco.

"Em 'E Não Sobrou Nenhum', minha avó criou uma trama complexa, que entretém e surpreende leitores desde sua primeira publicação, em 1939. Espero que continue fazendo isso por anos a fio", disse à BBC Matthew Prichard, neto da autora e presidente da Agatha Christie Ltd. "Foi realmente excitante ver fãs de todo o mundo votando no 'World's Favorite Christie' [nome da enquete]", afirmou.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".