OPORTUNIDADES

UEMS prorroga inscrições de concurso até novembro

Prova escrita será aplicada no dia 15 de dezembro
27/10/2019 16:47 - ADRIEL MATTOS


As inscrições do concurso público da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) foram prorrogadas para 8 de novembro. São 11 vagas para cargos de nível médio, com salário de R$ 1.668,41; e 9 vagas de nível superior, com salário de R$ 2.383,25. 

Pelo novo edital, os candidatos têm até as 17h desta data para se inscrever. A taxa de inscrição é de R$ 143,85 para os cargos de nível médio e R$ 230,16 para os cargos de nível superior, e deve ser paga também em 8 de novembro.

Para candidatos com ensino médio completo, as oportunidades são para auxiliar técnico em eletrônica (Dourados, 1 vaga), auxiliar técnico em instrumentação (Dourados, 1 vaga), auxiliar técnico em mecânica (Dourados, 1 vaga), auxiliar de biblioteca (Campo Grande, sendo 1 para concorrência geral e 1 para candidatos negros; e Dourados, também com uma vaga geral e outra para negros) e auxiliar de tecnologia de informação, (Campo Grande, 2 vagas; e Dourados, 2 vagas). 

Já para quem tem diploma de ensino superior, as oportunidades são para assistente social (Campo Grande, 1 vaga; e Dourados, 1 vaga), bibliotecário (Dourados, 1 vaga), psicólogo (Campo Grande, 1 vaga; e Dourados, 1 vaga), revisor (Dourados, 1 vaga), secretário acadêmico, (Campo Grande, 1 vaga; e Dourados, 1 vaga) e técnico de recursos de materiais (Dourados, 1 vaga).

As inscrições podem ser feitas no site da Fundação de Apoio à Pesquisa, ao Ensino e à Cultura de Mato Grosso do Sul (Fapems). A prova escrita será aplicada em 15 de dezembro, pela manhã e à tarde, em Dourados e Campo Grande. No edital do concurso, é possível conferir mais informações, incluindo o conteúdo da prova escrita (clique aqui para ler, a partir da página 50).

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".