EMPREGO

Semana termina com 629 vagas disponíveis para Campo Grande

As vagas são rotativas e podem ser preenchidas a qualquer momento
25/10/2019 08:56 - BRUNA AQUINO


 

A semana está terminando mas as oportunidades de emprego não. Nesta sexta-feira (25), a Fundação Social do Trabalho em Campo Grande (Funsat) e a Fundação do Trabalho de Mato Grosso do Sul (Funtrab) oferecem juntas 629 vagas de emprego em diversas áreas de atuação. Mas fica o alerta: as vagas são rotativas e podem ser preenchidas a qualquer momento sem aviso prévio. 

Na lista (você pode conferir ao final), há vagas para auxiliar de contabilidade, auxiliar de limpeza, banhista de animais doméstico e churrasqueiro. Os salários variam de R$ 998, valor mínimo atualmente a R$ 2 mil em média. 

Há oportunidades também para Pessoas com Deficiência, nos cargos de porteiro, operador de caixa e camareira de hotel

Na Funsat você pode encontrar vagas nos cargos de chefe de departamento, estoquista, operador de telemarketing receptivo (aprendiz) e técnico em nutrição. 

Há também vagas para pessoas com deficiência nos cargos de operador telemarketing ativo, Fiscal de loja e empacotador, a mão. 

Os interessados devem levar o currículo e os documentos pessoais até a sede da Funtrab, que está localizada na Avenida Treze de Maio, n°2773, no centro de Campo Grande. A entrega de senhas começam às 7h e os atendimentos encerram às 17h. 

Na Funsat, os interessados devem ir até a Rua 14 de Julho, 992 - Vila Glória. Lá o atendimento funciona até às 17h. 

No interior do Estado, os interessados devem ir até a Casa do Trabalhador de seu município e verificar as vagas disponíveis.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".