OPORTUNIDADE

MSGás abre processo seletivo para estagiários de vários cursos

Bolsa auxílio varia de R$ 475,75 até R$ 974,03
02/09/2019 17:32 - GLAUCEA VACCARI


Companhia de Gás do Estado de Mato Grosso do Sul (MSGÁS) abriu processo seletivo simplificado de estagiários, para cadastro de reserva técnica, nas cidades de Campo Grande e Três Lagoas. Inscrições poderão ser realizadas entre os dias 3 de setembro e 4 de outubro.

Em Campo Grande, podem participar da seleção estudantes matriculados nos cursos de Administração, Análise de Sistemas/Ciências da Computação/Processamento de Dados, Ciências Biológicas, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Jornalismo/Publicidade e Propaganda, Direito, Engenharia Civil, Engenharia da Computação, Engenharia de Controle e Automação, Engenharia de Meio Ambiente, Engenharia de Produção, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica e Engenharia Sanitária e Ambiental.

Bolsas auxílio serão de R$ 649,35 para carga horária de 4h/dia e R$ 974,03 para expediente de 6h/dia, mais cartão vale-transporte.

Já em Três Lagoas, oportunidade é para alunos matriculados nos cursos de Administração, Engenharia Civil, Engenharia de Produção, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica e Sistemas de Informação. Neste município, bolsas auxílio anunciadas foram de R$ 475,75 para carga horária de 4h/dia e R$ 800,43 para expediente de 6h diárias, mais auxílio transporte de R$ 173,60.

O processo seletivo será realizado pelo Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE). O edital com todas as informações está disponível no Diário Oficial do Estado desta segunda-feira (2).

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".