TECNOLOGIA

WhatsApp amplia prazo para parar de funcionar em celulares antigos

WhatsApp amplia prazo para parar de funcionar em celulares antigos
30/06/2017 08:24 - FolhaPress


 

O WhatsApp anunciou que adiou o fim do serviço para uma série de aparelhos, anteriormente programado para acabar nesta sexta-feira (30).

A empresa, que pertence ao Facebook, porém, informou que "alguns dos recursos poderão parar de funcionar a qualquer momento" nesses aparelhos mais antigos.

As novas datas para o fim dos funcionamento do serviços são as seguintes:

>> BlackBerry OS e BlackBerry 10 após o dia 31 de dezembro de 2017;
>> Nokia S40 após o dia 31 de dezembro de 2018;
>> Nokia Symbian S60 após o dia 30 de junho de 2017;
>> Windows Phone 8.0 e anterior após o dia 31 de dezembro de 2017;
>>As versões 2.3.7 e anterior do Android após o dia 1º de fevereiro de 2020

Segundo a companhia, essas plataformas têm certas limitações que impedem a expansão de seus recursos. Ela recomenda que os usuários troquem seus aparelhos por outros mais atuais.

A decisão da empresa de cancelar o funcionamento para os celulares mais antigos havia sido contestada pela associação de defesa do consumidor Proteste.

De acordo com a Proteste, trata-se de um desrespeito ao consumidor, especialmente para quem escolhe utilizar um aparelho mais antigo com acesso ao serviço de telefonia provido por todas as operadoras no país.

O aplicativo de mensagem instantânea conta com cerca de 1,2 bilhão de usuários no mundo. No Brasil, a marca de 120 milhões já foi batida.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".