Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 23 de outubro de 2018

PREVENÇÃO

Vazio sanitário em áreas de plantio
previne disseminação de pragas

Uma das maiores preocupações dos agricultores é a ferrugem asiática

12 JUN 2018Por ALINE OLIVEIRA14h:30

A partir desta sexta-feira (15), fica proibido em todo estado de Mato Grosso do Sul, o cultivo de soja, no intervalo de 90 dias, com objetivo de reduzir a incidência de proliferação de ferrugem asiática nas lavouras regionais. 

A fiscalização e o monitoramento das áreas é feito pela Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro), que reforça a importância de estabelecer a pausa, considerando que o tempo máximo de sobrevivência dos esporos da praga é de 55 dias. 

O descumprimento das normas do vazio sanitário, conforme legislação estadual, pode implicar em autuação da Iagro e multa de até mil UFRMS, que é a Unidade Fiscal Estadual de Referência de Mato Grosso do Sul. A unidade teve seu valor estabelecido para o mês de junho em R$ R$ 24,66.

Além de não plantar o grão, os agricultores devem eliminar todas as plantas voluntárias – conhecidas como guaxas ou tigueras – nas propriedades, seja por meio de processos mecânicos ou químicos, e antes de plantar ele deve ficar atento ao prazo de cadastramento das áreas onde será feito o cultivo da soja, no próximo ciclo.

HISTÓRICO

Em 2006, a medida foi instituída em Mato Grosso, Goiás e Tocantins. Em 2007, foi publicada pelo Ministério da Agricultura a Instrução Normativa Número 2, instituindo o Programa Nacional de Controle da Ferrugem Asiática da Soja (PNCFS), no qual, entre outras diretrizes, ficou estabelecido que os Estados deveriam ter um calendário de semeadura de soja, com um período de, pelo menos, 60 dias sem a presença de plantas cultivadas ou voluntárias.

Atualmente, além de Mato Grosso do Sul e o Distrito Federal, outros dez Estados adotam o vazio sanitário como medida de controle da ferrugem asiática da soja: Rondônia, Bahia, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraná, São Paulo e Tocantins.

Para sanar quaisquer dúvidas e prestar maiores esclarecimentos a Iagro coloca à disposição do produtor um telefone: 0800 647 2788.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também