Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CÂMARA SETORIAL

Setor produtivo quer atualizar Plano<br> Florestal de MS

MS tem mais de 1,1 milhão de hectares em florestas plantadas
21/06/2019 18:47 - ALINE OLIVEIRA


 

Com 1,1 milhão de hectares em florestas plantadas, Mato Grosso do Sul antecipou em mais de uma década a meta estimada para acontecer em 2030.

Com objetivo de organizar a cadeia produtiva do segmento, a Câmara Setorial Florestal do Estado participou no início da semana de uma reunião com equipes da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a fim de obter informações sobre tomadas de preços na produção de floresta plantada e madeira.

O coordenador é o engenheiro florestal, Moacir Reis, que é também produtor de eucalipto para celulose e carvão vegetal e presidente da Associação Sul-Mato-Grossense de Produtores e Consumidores de Florestas Plantadas (Reflore). 

Na avaliação do representante, a desinformação é um dos maiores problemas para quem trabalha no setor produtivo de madeira. Reis explica que existe sim, grande preocupação com o desmatamento, e mais ainda, em preservar árvores nativas, reservas legais, áreas de proteção permanente (APP) e de conservação. 

“Aqui no Mato grosso do Sul temos um entendimento sobre conservação e sustentabilidade diferenciado do resto do País. Crescemos olhando a questão ambiental, social e econômica e valorizando a parceria com o Governo do Estado que nos oferece o suporte necessário e tem sido fundamental para o desenvolvimento do setor", ressalta.

ATUALIZAÇÕES

A Câmara Setorial observou a necessidade da atualização do Plano Florestal do Estado e está trabalhando no escopo do projeto. “Hoje o Estado tem duas indústrias de celulose em Três Lagoas, é um dos maiores produtores de celulose do Brasil e do mundo”.   

Moacir lembra que os problemas da empresa Vale em Brumadinho (MG) fizeram com que muito do minério de Corumbá vá para Minas Gerais, o que trouxe novas perspectivas para o setor. O tema também foi discutido na pauta com a Conab e é tratado com nível elevado de atenção pelos membros da Câmara.

 “Trabalhamos a expansão de novas indústrias, pensando no meio ambiente, no produtor, em gerar postos de emprego e mais renda para nossa gente”, argumenta Reis. Com essa afirmação, o produtor entende que a atuação da câmara tem o intuito de congregar o setor como um todo, incluindo os segmentos de serraria, cavaco e carvão vegetal. 

*Com informações Ascom Semagro

Felpuda


As conversas vêm acontecendo muito, mas muito reservadamente mesmo, e dão conta de que suplente poderá receber convocação, assumir a titularidade do cargo e por lá ficar por tempo indeterminado. Como é óbvio, tem gente jurando que nunca ouviu nem sequer falar sobre o assunto. O motivo não seria nada ligado a possíveis atos de irregularidades, mas sim por problemas de ordem pessoal.