FEBRE AFTOSA

Prazo pra imunização do rebanho bovino termina hoje (31)

Norte e Nordeste terão prorrogação
31/05/2019 17:18 - ALINE OLIVEIRA


 

A primeira etapa da vacinação contra febre aftosa termina nesta sexta-feira (31), segundo informação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A estimativa é imunizar 218 milhões de bovinos e bubalinos em todo Brasil, contra 198 milhões no ano passado. 

Mato Grosso do Sul se destaca nacionalmente por ser o 2º produtor de carne bovina e ter o 4º rebanho bovino do país, e, a estimativa da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) é vacinar cerca de  21 milhões de animais. 

Conforme anunciado pelo ministério, a maioria dos estados brasileiros encerrará a primeira etapa de vacinação hoje (31), porém, os estados do Piaui e Pará terão prorrogação até 15 de junho, por conta de adversidades climáticas e problemas sanitários com a Peste Suína Clássica, caso específico do Piauí.

Enquanto isso, no Amazonas a prorrogação vai até 7 de junho. 

 Os produtores deverão procurar a unidade veterinária local para comprovar a vacinação em até 15 dias, conforme normativa de cada estado, evitando a aplicação de penalidades previstas em lei.

PRORROGAÇÃO MS

Conforme o calendário oficial, o registro da vacinação deve ser feito até 15 de junho para produtores do Planalto e Fronteira. Já a região do Pantanal tem até 30 de junho para regularizar o registro no sistema da Iagro.

O produtor que deixar de vacinar ou não registrar a vacina estará sujeito a multa.

Mato Grosso do Sul, que tem se mantido entre os três estados com melhor percentual de cobertura vacinal do País, e é destaque em todo País pela excelência do serviço oficial de defesa agropecuária, vem trabalhando com afinco na agenda do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA) que prevê a retirada definitiva da vacinação até 2021. 

 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".