Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 10 de dezembro de 2018

SAFRA 2018/19

Plantio de soja encerra com estimativa de colher 10 milhões de toneladas

Informação foi divulgada durante evento Soja Plus

21 NOV 2018Por ALINE OLIVEIRA19h:00

O plantio de soja em Mato Grosso do Sul, relativo a safra 2018/2019, foi concluído nesta semana e a expectativa inicial de colheita é de 10 milhões de toneladas.

A informação foi divulgada nesta quarta-feira (21), pelo presidente da Associação de Produtores de Soja (Aprosoja/MS), Juliano Schmaedecke, durante evento que premiou os agricultores com maior destaque na gestão ambiental, social e econômica da propriedade. 

"Tivemos um ano especial para o produtor sul-mato-grossense, com aumento de 4% na área plantada, utilizando apenas recuperação de pastagens e implantando o sistema de Integração Lavoura e Pecuária (ILP).Este resultado foi possível em razão de um crescimento exponencial nos últimos cinco anos e da adoção de tecnologia, melhoramento genético e boas práticas agrícolas", detalha. 

Sobre a premiação dos sojicultores sul-mato-grossenses, Schmaedecke destaca a evolução dos últimos 40 anos de produção e gestão do negócio rural. "Na década de 70, o produtor rural era engenheiro, arquiteto e mestre de obras, fazia as coisas do jeito que dava. Com a criação de legislações e normas da atividade, esses empresários tiveram que se readequar a fim de manter a lucratividade do negócio e proporcionar qualidade de vida para seus colaboradores", conclui.

O presidente da Federação de Agricultura e Pecuária de MS (Sistema Famasul), Mauricio Saito, explica que o produtor rural se empenhou em buscar conhecimento e melhorar a produção e o reflexo são os números positivos do setor.

"Com uma previsão de produção de soja em 10 milhões de toneladas, fica evidente o comprometimento do agricultor em se aperfeiçoar e preservar o meio ambiente. Fato que comprova isso é a conservação do bioma cerrado em Mato Grosso do Sul, do qual somente 4% foi utilizado para plantio da oleaginosa", argumenta.

ESPECIALISTAS DO SETOR

O gerente de sustentabilidade da Associação Brasileira de Indústrias Óleos Vegetais (Abiove), Bernardo Pires, confirma que o crescimento da produção decorre da adoção de boas práticas agrícolas, melhoramento genético e sistemas produtivos eficazes. 

"A implantação do sistema agrossilvipastoril (Integração Lavoura, Pecuária e Floresta) nas propriedades que atuam no cultivo de soja, é um dos mais eficientes e sustentáveis da atualidade. Sua implantação proporcionou ao produtor aumentar o volume de produção de 3,5 mil quilos de produção por hectare para 10 mil quilos, isso significa aumentar o leque de oportunidades e não apostar todas as fichas em uma só cultura", detalha o especialista.

O analista da Unidade Técnica do Sistema Famasul, Raul Roa, explica que o programa Soja Plus foi implantado em Mato Grosso do Sul, no ano de 2014 e conseguiu bons resultados em quatro anos de trabalho.

"Atualmente temos 636 produtores participando do programa em 52 municípios do Estado. Somente este ano foram 128 agricultores que entenderam a importância da gestão na propriedade. Os produtores premiados este ano receberão o troféu de destaque em boas práticas agrícolas e atendimento a legislação ambiental e trabalhista", destaca. 

Um dos agricultores premiados foi Renato Duchi, cuja família conta com propriedades em Terenos e Chapadão do Sul. Ele conta que nas duas localidades já foi implantado o programa Soja Plus e ficou satisfeito com alguns fatores que observou. 

"Quando a equipe apresentou o check list com os itens necessários a adequação social, ambiental e econômica ficamos satisfeitos, pois, percebemos que já cumpriamos vários itens previstos pela legislação. O esclarecimento que obtivemos nos fez perceber que estamos no caminho certo, considerando que sou a 3ª geração de uma família de agricultores que plantam soja", relata. 

Em relação a atual safra, Duchi, destaca que o ciclo atual será desafiador em razão da alta do dólar, impactando nos custos de produção e o período no qual o produtor precisa aguardar o crescimento da soja.

"O quesito que fundamenta o resultado positivo da lavoura é a produtividade, então temos que concentrar nossos esforços nesse sentido. Desde o início da semana concluímos o plantio da soja em nossa propriedade e agora temos 120 dias pela frente, enfrentando chuva, sol e pragas", conclui. 

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também