Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

2017/2018

Plano safra vai ter queda nos<br> juros e aumento do crédito

Produtores terão R$ 190 bilhões para financiar agricultura
19/06/2017 06:00 - DA REDAÇÃO


 

Mesmo ainda sem os valores que serão destinados exclusivamente para o crédito rural em Mato Grosso do Sul, o Plano Safra Agrícola, lançado no início do mês, contempla gargalos existentes no setor agrícola sul-mato-grossense.

A avaliação é de técnicos do governo do Estado e lideranças rurais que acreditam que o plano atende a setores como armazenagem de grãos e linha específica para o setor sucroenergético, mas poderia ter juros menores.

Na avaliação do secretário de Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, “o valor anunciado e os juros são satisfatórios para o setor agrícola, mas o recuo das taxas poderia ter sido mais audacioso. Um ponto porcentual não é o suficiente para dar retorno ao resultado que a agricultura tem demonstrado na composição do PIB brasileiro, como vimos na prévia do primeiro trimestre do ano”, comentou.

De acordo com o Ministério da Agricultura, foram disponibilizados R$ 190,2 bilhões em recursos para o Plano Agrícola e Pecuário 2017/2018.

Apesar do contingenciamento feito em diversas pastas, o valor supera os R$ 185 bilhões disponibilizados para o período entre julho de 2016 e junho de 2017.

O volume de crédito para custeio e comercialização, segundo o ministério, ficará em R$ 150,2 bilhões. Deste total, R$ 116,2 bilhões com juros e taxas fixados pelo governo. Outros R$ 34 bilhões serão disponibilizados a juros livres, por meio de negociações envolvendo as instituições financeiras e o produtor. Os juros cobrados para o custeio caíram de 8,5% e 9,5% ao ano para 7,5% e 8,5%.

*Leia reportagem, de Rosana Siqueira, no suplemento Correio Rural na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

Felpuda


Nos bastidores poderosos, comentários são de que dois pretensos pré-candidatos estão deixando em polvorosa quem tinha quase certeza de que tudo estava em total “céu de brigadeiro”. Assim, enquanto ambos se movimentam aqui e acolá, o lado de lá está pensando no que fazer para evitar futuro confronto. Vale ressaltar que a dupla tem experiência que só no campo de guerra das eleições – e o desempenho não ficou a desejar.