CANA

Moagem cai na 2ª maior<br> usina de Mato Grosso do Sul

Unidade da Odebrecht em Nova Alvorada do Sul completa 8 anos
09/10/2017 07:18 - DA REDAÇÃO


 

Após alcançar recorde de produção há dois anos e processar um total de 5,3 milhões de toneladas de cana-de-açúcar em sua unidade situada em Nova Alvorada do Sul, a Usina Santa Luzia, a Odebrecht Agroindustrial projeta para a safra 2017/2018 moagem total 16% inferior ao melhor resultado da unidade e quebra de 10% no comparativo com a safra passada.

O principal motivo foi a ocorrência das geadas que atingiram a região, afetando também outras usinas do centro-sul do Estado. 

Com a estimativa, a produção da unidade deve ficar em 4,6 milhões de toneladas – no ciclo anterior, havia ficado em 4,8 milhões de toneladas, também em decorrência do mesmo fenômeno climático.

A produção de etanol total é estimada em 355 milhões de litros e a de energia elétrica a partir do bagaço (biomassa), em 310 MWh.

Os números foram divulgados na semana passada, durante visita da imprensa às instalações da usina, a maior em moagem da empresa no País, que completa oito anos de operação em Mato Grosso do Sul na próxima semana, dia 14. 

Apesar da queda em produção, a moagem entregue pela unidade ainda deve ser a segunda maior do Estado e ficar entre as 15 maiores do País na próxima safra, destacou o superintendente do Polo Santa Luzia, Fabiano Pontes.

“No ano que vem, a expectativa é voltar para os 5 milhões de toneladas. A unidade tem em torno de 80 mil hectares plantados, todos arrendados, e já está com sua capacidade máxima de plantio”, explicou.

*Leia reportagem, no suplemento Correio Rural da edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".