Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

PECUÁRIA DE CORTE

Melhoramento genético é proposta para elevar qualidade do rebanho

MS é o 2º produtor nacional de carne bovina

16 JUN 19 - 17h:16ALINE OLIVEIRA

O segmento de protocolos, materiais e sêmens bovinos no Brasil movimentou R$ 537,6 milhões em 2018, conforme levantamento realizado pela Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (ABIEC). A informação justifica como foi possível aumentar o número de abates em 6,9%, o que representa 44,23 milhões de cabeças com a diminuição de utilização de área de pastagens em 162,19 milhões de hectares.

Em Mato Grosso do Sul, o resultado econômico do setor pecuário é observado nos dados nacionais, visto que o estado é o 2º produtor nacional de carne bovina e o 5º exportador do produto para países do continente asiático, europeu e americano.

TECNOLOGIA NO PANTANAL

Na região do pantanal sul-mato-grossense está concentrado o maior rebanho estadual, que segundo confirmado no último censo agropecuário do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE/2017) superou o número de 1,5 milhões de cabeças. Considerado o ‘berçário’ da atividade pecuária, os produtores investem na produção de animais resistentes às condições do bioma que alterna períodos de alagamento e seca, além das altas temperaturas.

Com objetivo de levar animais adaptados ao ecossistema pantaneiro, a Agropecuária Grendene apresentará no mês de julho, durante a 1ª Tecno Feira de Corumbá, um plantel de 150 reprodutores melhorados geneticamente e criados para se adaptar ao cenário pantaneiro.

O diretor de pecuária da empresa, Ilson Ribeiro Corrêa, revela que desde o início das atividades, o foco da administração foi produzir animais com genética orientada em resultados das pistas de julgamento. Com essa meta passou a desenvolver o melhoramento genético da raça Nelore, na condição Puros de Origem (PO).

“Os animais de nossa propriedade são criados e recriados dentro do bioma pantaneiro, na região de Cáceres (MT), por isso temos a garantia de oferecer mais facilidade de produção e adaptação dos exemplares”, esclarece.

Corrêa explica ainda que a empresa já conta com um volume expressivo de touros trabalhando no pantanal brasileiro e boliviano, com excelentes relatos de sucesso. “Do ponto de vista morfológico observamos a resistência do casco suportando o trabalhoem áreas úmidas, boa pigmentação e resistência em altas temperaturas, além demanter o desempenho produtivo mesmo em condições de pastagem com menor valor nutricional”.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Criação de ovelhas é opção lucrativa e diversifica atividade agropecuária
CARNE NOBRE

Ovinocultura é opção de lucro e diversificação na atividade

Em MS, 85% do algodão foi comercializado para três países
COMERCIALIZAÇÃO EM ALTA

Em MS, 85% do algodão foi vendido para três países

Agricultores contabilizam prejuízos nas lavouras de Mato Grosso do Sul
GEADAS MS

Agricultores contabilizam prejuízos nas lavouras de MS

Projeto com foco na agricultura familiar receberá US$ 400 mil
APOIO INTERNACIONAL

Projeto com foco na agricultura familiar receberá US$ 400 mil

Mais Lidas