Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

RANKING

Mato Grosso do Sul é o segundo no País com mais abates de bovinos

Foram 99 mil cabeças de gado a mais no segundo trimestre deste ano

16 SET 19 - 10h:30SÚZAN BENITES

Pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta que no segundo trimestre de 2019 foram abatidas 8,04 milhões de cabeças de bovinos sob algum tipo de serviço de inspeção sanitária no País. Essa quantidade foi 3,5% superior à obtida no segundo trimestre de 2018, com 7,76 milhões. Mato Grosso do Sul é a segunda Unidade da Federação (UF) que mais abate bovinos no Brasil, com 11,4% do total, 99 mil cabeças a mais. 

Foram 268,55 mil cabeças de bovinos a mais no segundo trimestre de 2019 em relação ao mesmo período de 2018. O número foi impulsionado por altas em 17 das 27 UFs. Entre aquelas com participação acima de 1%, as variações positivas foram: Mato Grosso (+257,03 mil cabeças), Mato Grosso do Sul (+99,22 mil cabeças), São Paulo (+45,03 mil cabeças), Rondônia (+28,18 mil cabeças), Santa Catarina (+12,63 mil cabeças) e Bahia (+6,43 mil cabeças). As reduções mais intensas foram em Goiás (-73,78 mil cabeças), Rio Grande do Sul (-64,30 mil cabeças), Pará (-63,68 mil cabeças) e Maranhão (-13,97 mil cabeças). Mato Grosso continua liderando o abate de bovinos, com 17,8% do total nacional, seguido por Mato Grosso do Sul (11,4%) e São Paulo (10,1%).

SUÍNOS

O abate de suínos também alcançou um número expressivo no País, mas o Estado registrou redução. No segundo trimestre de 2019 foram abatidas 11,39 milhões de cabeças de suínos, representando aumento de 5,2% em relação ao mesmo período de 2018 e de 0,9% na comparação com o primeiro trimestre de 2019. Foi o melhor segundo trimestre da série histórica iniciada em 1997, fortalecido por desempenho recorde para meses de abril e maio. Já a queda de 12,1% registrada em junho de 2019 em relação a 2018 deve-se aos efeitos da greve dos caminhoneiros deflagrada em maio de 2018, que postergou para o mês seguinte parte da produção não realizada.

Foram abatidas 560,38 mil cabeças de suínos a mais no segundo trimestre de 2019 em relação ao mesmo período de 2018, números impulsionados por aumentos em 20 das 25 UFs participantes da pesquisa. Entre os Estados com participação acima de 1%, ocorreram aumentos em: Santa Catarina (+199,00 mil cabeças), Rio Grande do Sul (+118,62 mil cabeças), São Paulo (+79,90 mil cabeças), Mato Grosso (+61,92 mil cabeças), Minas Gerais (+48,04 mil cabeças), Paraná (+37,39 mil cabeças) e Goiás (+17,28 mil cabeças). A redução ocorreu em Mato Grosso do Sul (-9,29 mil cabeças).

FRANGOS

Foram abatidas 1,42 bilhão de cabeças de frangos no País. Houve aumento de 3,4% na comparação com o mesmo período de 2018 e queda de 0,9% em relação ao trimestre imediatamente anterior. O crescimento na comparação anual também se deve a uma base de comparação mais baixa, em razão da greve dos caminhoneiros ocorrida em 2018. 

O abate de 47,30 milhões de cabeças de frangos a mais no segundo trimestre de 2019 em relação a igual período do ano anterior foi determinado por aumentos no abate em 15 das 24 UFs que participaram da pesquisa. Entre aquelas com participação acima de 1%, houve aumentos em: Paraná (+31,71 milhões de cabeças), Santa Catarina (+17,57 milhões de cabeças), Goiás (+11,40 milhões de cabeças), Minas Gerais (+3,93 milhões ).

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Confira o calendário de vacinação contra a Febre Aftosa em MS
AGROPECUÁRIA

Confira o calendário de vacinação contra a Febre Aftosa em MS

Nova etapa de vacinação contra febre aftosa começa em novembro
ATENÇÃO!

Vacinação contra febre aftosa começa em novembro

Safra de grãos deve crescer 6,3% e fechar com recorde em 2019
CORREIO RURAL

Safra de grãos deve crescer 6,3% e fechar com recorde em 2019

Governo aprova MP do Agro e amplia opções de crédito
CORREIO RURAL

Governo aprova MP do Agro e amplia opções de crédito

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião