SUSPENSÃO BNDES

Linha de crédito para maquinário agrícola é suspensa

Moderfrota conta com taxa de juros prefixada em 7,5%
15/04/2019 15:21 - ALINE OLIVEIRA E ROSANA SIQUEIRA


 

Foi anunciada nesta segunda-feira (15), pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a suspensão dos protocolos de pedidos para o Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras (Moderfrota).

A linha de crédito conta com taxa de juros prefixada em 7,5% ao ano e foi idealizada para oferecer aos produtores rurais a aquisição de tratores e implementos, colheitadeiras e plataformas de corte, pulverizadores e equipamentos de adubação novos, de fabricação nacional e credenciados no BNDES. 

O público alvo beneficiado são empresários rurais com faturamento anual de até R$ 90 milhões. A circular foi assinada pelo superintendente da Área de Operações e Canais Digitais (ADIG), Marcelo Porteiro Cardoso, que justifica: "comprometimento total dos recursos disponíveis para as citadas Linhas de apoio para o Ano Agrícola 2018/2019”. 

Segundo apurado pela imprensa especializada, a medida surpreendeu os fabricantes de máquina que aguardavam a ampliação da oferta de crédito para o Moderfrota.

Além disso, entre os dias 29 de abril de 3 de maio, acontece em Ribeirão Preto (SP), umas das maiores feiras do setor e que tem tradição no lançamento de máquinas plantadeiras, colheitadeiras e tratores.  

NOTA OFICIAL

O documento encaminhado às instituições financeiras credenciadas informa, ainda, que “o BNDES mantém discussões junto ao Ministério da Agricultura,Pecuária e Abastecimento na avaliação de alternativas para remanejamento de recursos equalizáveis pelo Tesouro Nacional para os citados Programas, para o Ano Agrícola 2018/2019”.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".