Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 16 de janeiro de 2019

SAFRA 2018/2019

Chuvas registradas no fim de ano equilibram clima nas lavouras de soja

Em algumas regiões do Estado perdas chegaram a 80% do que foi plantado

3 JAN 2019Por ALINE OLIVEIRA18h:15

A oscilação na precipitação de chuvas em Mato Grosso do Sul resultou em perdas que variaram entre 30 e 80%, resultado da estiagem no período de desenvolvimento da soja.

Em razão do cenário instável, a Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul (Aprosoja/MS), atualizou a expectativa de produção do atual ciclo, reduzindo de 10 para 8,9 milhões de toneladas colhidas.

Apesar da revisão apontar uma queda de 11%, a expectativa dos produtores sul-mato-grossenses ainda é positiva, em razão das chuvas registradas desde o dia 28 de dezembro, em diferentes regiões do Estado. 

Conforme informado pelo Sistema de Informações Geográficas do Agronegócio (Siga-MS), volume semelhante foi registrado na safra 2016/2017 quando os sojicultores contabilizaram 8,5 milhões de toneladas colhidas. 

“Há uma irregularidade muito grande nas chuvas de Mato Grosso do Sul. Enquanto algumas regiões registram 90 milímetros, a pouco mais de 15 quilômetros tem espaços que não chovem há quase 40 dias. Essa diferença é mais evidente na região Sul, mas se aplica a todo Estado. Não teremos safra recorde neste ano no Brasil”, destaca o presidente da Aprosoja/MS, Juliano Schmaedecke.

CENÁRIO

A revisão na estimativa também foi feita na produtividade, que pode oscilar entre 30 a 60 sacas cohidas por hectare. Logo após o final do plantio, a associação projetou que a produtividade chegaria a 54 sacas/hectare. 

Caso confirmadas as expectativas de chuvas nestes últimos dias do ano e na primeira semana de 2019, segundo a Associação, ainda há possibilidade de elevação na produtividade de alguns agricultores.

“Àqueles com plantio tardio, podem receber chuvas no momento de enchimento do grão e contribuir para o patamar de uma safra equilibrada em Mato Grosso do Sul”, completa o presidente da Aprosoja/MS.

*Com informações da Assessoria Aprosoja/MS

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também