Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ACOMPANHAMENTO

Dicas para fazer batata frita crocante e sequinha

Dicas para fazer batata frita crocante e sequinha
27/06/2019 05:00 - TUDO GOSTOSO


 

Batata frita é aquele acompanhamento do qual todo mundo gosta e também é um aperitivo delicioso. Se a batata frita que você prepara em casa fique meio murcha e oleosa, estamos aqui para te ajudar: confira dicas de como fazer batata frita tradicional, crocante e sequinha e faça a melhor batata frita da sua vida!

1) Dê preferência à batata asterix, também conhecida como rosada ou portuguesa. Ela tem menos água do que os outros tipos de batata.

2) Lave bem as batatas em água corrente e, se eles estiverem muito sujas, use uma escovinha para limpá-las.

3) Descasque as batatas e deixe-as de molho: isso evita que elas escureçam.

4) Depois, é só cortá-las do jeito que você preferir: em palitos grossos ou finos, em rodelas, chips…

5) Seque bem as batatas com papel-toalha ou pano de prato limpo: isso vai fazer com que o óleo não espirre em você durante a fritura.

6) Coloque óleo em uma panela alta e leve ao fogo. Para ver se o óleo está quente o suficiente, coloque um palito de fósforo dentro da panela: quando ele acender, é sinal de que o óleo está bom para ser usado. Retire o palito de fósforo.

7) Coloque um pouco das batatas no panela e mexa com cuidado para que elas não grudem. Depois, pare de mexer. Quando as batatas estiverem esbranquiçadas, retire-as do óleo e coloque-as numa travessa com papel-toalha. Você pode fazer isso bem antes de as batatas serem servidas.

8) Um pouco antes da refeição, esquente novamente o óleo e coloque as batatas já pré-fritas. Deixe que fritem até que fiquem douradinhas, retire do óleo e leve para uma travessa forrada com papel-toalha.

9) Depois, é só colocar sal e servir sua batata frita crocante e sequinha!

Felpuda


Sindicalista defende o fim de mordomias e privilégios dos políticos e dos integrantes de outros Poderes, conforme divulgação feita por sua assessoria. Para ele, está na hora de se colocar um basta nessa situação, questionando, inclusive, o número de parlamentares e de assessores. Entretanto, não demonstra a mesma aversão por aqueles dirigentes de sindicatos que se perpetuam no poder e que comandam mais de uma entidade, assim como ele. Afinal, o exemplo deve vir de casa, né?