Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

DEM

Tereza Cristina e Murilo Zauith são nomes para governar MS

Enquanto partidos estão focados na Prefeitura de Campo Grande, Democratas buscam 2022

14 MAR 19 - 06h:00YARIMA MECCHI

Enquanto diversos partidos e lideranças políticas se preocupam com as eleições municipais de 2020, o Democratas (DEM) está de olho no governo do Estado e busca viabilizar a campanha de nomes como Tereza Cristina, deputada federal licenciada e atual ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, e o vice-governador e secretário de Infraestrutura de Mato Grosso do Sul, Murilo Zauith. 

Atualmente comandada pelo vice-governador e dois deputado estaduais, José Roberto Teixeira – Zé Teixeira – e o ex-secretário de Justiça e Segurança Pública José Carlos Barbosa – Barbosinha –, a sigla é representada pelos ministros de Agricultura, Tereza Cristina, e da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. 

“Temos bons nomes para disputar o governo do Estado em 2022. O DEM tem muitas possibilidades, temos o Zauith, que é um nome e está no governo, e a deputada Tereza, que vem se destacando em Brasília pelo seu trabalho”, disse Zé Teixeira. 

Na busca por conseguir melhorar a base da agremiação em Mato Grosso do Sul, na próxima semana deve haver uma reunião em Campo Grande para alinhar o próximo presidente da executiva estadual da sigla. 
“Estamos tentando conciliar com os ministros também, para que eles estejam presentes. Ainda não temos nenhum nome para ser o presidente, mas vamos definir”, adiantou Zauith. 

Conforme apurado pelo Correio do Estado, tanto Mandetta quanto Teixeira têm a intenção de comandar o DEM em Mato Grosso do Sul, mas, ao contrário do cenário em que se encontra o PSDB, com os deputados federais Rose Modesto e Beto Pereira, os interessados devem seguir um consenso. 

“Quem quiser tem de colocar o nome à disposição. Acho um pouco difícil uma pessoa que tem agenda em Brasília conseguir dirigir o partido aqui no Estado”, disse Zauith sobre a possibilidade de Mandetta. 

Ainda de acordo com o presidente da sigla, o clima de união deve seguir, mas o momento é oportunidade de refazer as bases para conseguir consolidar um nome na disputa pela administração de Mato Grosso do Sul em 2022. “Se o Reinaldo [Azambuja]sair para o Senado, podemos fazer uma nova dobradinha”, declarou o vice-governador sobre ser o nome do partido para o governo. 

O deputado Zé Teixeira destacou que a sigla precisa caminhar para conseguir o melhor cenário. “Nós temos um bom teto, estamos lá em cima, mas precisamos agora fazer as bases. Precisamos de uma fundação melhor para conseguir melhorar em 2022”, destacou. 

De acordo com Teixeira, o partido atualmente tem quatro prefeitos e a janela partidária de 2020 para a mudança de prefeitos e vereadores deve aumentar ainda mais a sigla. “Nós elegemos três e veio um de Terenos. A intenção é aumentar”, destacou. 

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Prisão de Temer é importante para amadurecimento da democracia, diz Mourão

BRASIL

TRF-2 definirá recursos de Temer e Moreira na próxima semana

BRASIL

Prisão de Moreira Franco teve ajuda de advogado de voo e de taxista na rua

BRASIL

Presos, repressores da ditadura de Pinochet pedem encontro com Bolsonaro

Mais Lidas