Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, domingo, 16 de dezembro de 2018

inquérito

STF manda PF investigar Geraldo
sobre corrupção em Dourados

Caso é desdobramento da Uragano envolvendo, também, Artuzi

2 SET 2017Por DA REDAÇÃO04h:00

O Supremo Tribunal Federal (STF) determinou à Polícia Federal que retorne a investigar o envolvimento do deputado federal Geraldo Resende (PSDB) sobre o recebimento de propina na liberação de emendas parlamentares para atender o município de Dourados.

O inquérito (3352) é um desdobramento da Operação Uragano que, em 2010, investigou suposto esquema de corrupção e fraude em licitações envolvendo o ex-prefeito Ari Artuzi (falecido em 2013).

O retorno dos autos à PF atende pedido da Procuradoria Geral da República (PGR) de 8 de agosto deste ano, que “manifesta ciência e requer providências” sobre informações no inquérito composto por 4 volumes e um apenso.

Nesta semana, o relator do processo, o ministro do STF Marco Aurélio, decidiu retomar as investigações pela PF. A determinação começou a valer a partir da última quinta-feira.

Toda a movimentação do processo nesses últimos 30 dias, segundo o deputado Geraldo Resende, estaria relacionada com a mudança de comando na PGR no próximo dia 18, quando Rodrigo Janot deixa o cargo de Procurador-Geral para assumir Raquel Dodge.

“É uma mera movimentação. O procurador pode ter pedido para movimentar uma vez que a Dodge (Raquel) vai assumir nos próximos dias”, emendando que na retomada das investigações haveria interesse em prejudicá-lo politicamente, sem citar quem seriam os interessados. 

*Leia reportagem, de Clodoaldo Silva, na edição de sábado/domingo do jornal Correio do Estado.

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também