Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

INDICAÇÃO MINISTERIAL

Simone Tebet é cotada e Mato Grosso do Sul pode ter três ministros

Indicação objetiva ministério da Integração Nacional

9 MAI 19 - 10h:00YARIMA MECCHI E IZABELA JORNADA

A senadora de Mato Grosso do Sul, Simone Tebet (MDB), está entre as preferências do presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM-AP) para ser indicada a assumir o Ministério da Integração Nacional que pode ser recriado pelo Governo Federal. 

Conforme noticiado pela imprensa nacional, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) acertou com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre, que dois novos ministros do governo só serão nomeados se tiverem a aprovação de partidos do chamado Centrão. 

Ainda de acordo com a imprensa nacional, o presidente entendeu de que, sem acordo, não terá como aprovar a reforma da Previdência no Congresso Nacional.  E também correria o risco de ser derrotado em outros projetos como a medida provisória 870, da reforma administrativa, que instituiu a composição da Esplanada dos Ministérios após sua posse.

O governo aceitou dividir o Ministério do Desenvolvimento Regional em duas pastas: Cidades e Integração Nacional. O relator do projeto, senador Fernando Bezerra (MDB-PE), já encampou a proposta em seu parecer.

Entre os nomes cotados para assumir a pasta de Integração Nacional está da senadora de Mato Grosso do Sul e presidente da Comissão de Constituição de Justiça, Simone Tebet. 

Conhecida no Congresso Nacional, Simone começou 2019 com um embate enfrentando o senador Renan Calheiros (MDB) a indicação do partido sobre quem vai concorrer à presidência da casa. A disputa foi tão grande que chegou ser cogitada a saíde de Tebet do MDB, o que ainda não aconteceu. 

Conforme o blog do Tales Farias, com a criação dos ministérios caberá aos presidentes das duas Casas do Congresso, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, articular a escolha dos nomes.

No Senado a especulação é que a preferida de Alcolumbre é Tebet. Mas o relator da MP, senador Fernando Bezerra, está de olho no cargo. Ele é o líder do governo na Casa e já foi ministro da Integração no governo Dilma Rousseff.
O deputado estadual e marido de Simone, Eduardo Rocha, não aprofundou no assunto e disse não saber se houve um convite para presidente da CCJ assumir a pasta. 

“Será grande prestígio e conquista, mas não sabemos ainda o que vai ser, só sabemos por meio de nota de jornal que presidente da Câmara indicaria um ministro e do Senado também e que Alcolumbre tem a Simone como predileta e eu acredito que se for indicar ela será na Integração Nacional ou no Ministério das Cidades”. 

Caso Simone assuma um ministério, será o terceiro nome de Mato Grosso do Sul a compor o primeiro escalão do Governo Federal e deve compor o grupo junto com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e a da ministra Agricultura, Tereza Cristina. 

“Simone ficou muito fortalecida em Brasília ela é uma das cabeças jurídicas mais importantes e mais respeitada e sem contar que teremos três ministros do ms e isso nunca aconteceu na história de Mato Grosso do Sul”, ressaltou Rocha. 

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Vereadores votam projetos de mudança de nome de estradas
CAMPO GRANDE

Vereadores votam projetos para mudar nome de estradas

MANIFESTAÇÕES GOVERNO

No Twitter, Bolsonaro posta vídeos de atos pró-governo

GOVERNO FEDERAL

Senadores reclamam de protagonismo da Câmara

Ato em apoio ao presidente começa às 15h30 na Afonso Pena
APOIO AO PRESIDENTE

Ato em apoio a Bolsonaro acontecerá na Afonso Pena

Mais Lidas