Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

ARTICULAÇÃO INTERNA

Sem Bernal, lideranças do PP se reúnem para organizar partido

Há anos lideranças não se encontram para debater rumos do grupo

12 MAR 19 - 14h:24Yarima Mecchi, Izabela Jornada e Renata Volpe

Sem a presença do ex-prefeito de Campo Grande e presidente estadual do partidos, Alcides Bernal, vereadores, deputados e demais lideranças do PP  se reuniram na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALMS) para tratarem a atual situação da sigla. Na manhã desta terça-feira (12) e vereador Valdir Gomes disse que a agremiação está a deriva e há anos não são feitos encontros.  

“Reunião faz anos que não se faz. Como tem deputado eleito eu acredito que eles é que vão tomar alguma atitude nessa parte”, declarou Valdir complementando que pode deixar o partido se a situação não melhores. “Estou descontente com o andar do partido. Vim colocar para eles. A porta que eu entrei é a que eu saí. Quem comanda tem que comandar com todos, não fazendo reuniões para falar mal de quem é do partido. Não fazer reunião para falar mal de quem não está. Na hora oportuna eu vou apresentar, tenho gravado”, se referindo ao ex-prefeito Alcides Bernal.

Participaram do encontro o deputado Evander Vendramini, os vereadores Derly dos Reis de Oliveira, o Cazuza, e Valdir Gomes, além do vice-presidente do PP regional Ulisses Duarte, e do ex-secretário de Saúde de Campo Grande e ex-candidato a deputado estadual, Ivandro Fonseca. 

Vendramini defendeu dizendo que a organização do partido é uma ansiedade de todas as lideranças. “É a infinição e a incerteza da ausência do partido que deixa as pessoas em dúvida. Falta de articulação. Vamos continuar conversando com todo mundo e ou o partido se organiza ou todos serão obrigados a sair”. 

Os integrantes do PP reclamaram que não há união entre o atual presidente e os colegas com mandato, além de um isolamento por parte de Bernal. “O grande equívoco do Bernal foi se fechar muito, quando ele se fechou grande parte dos companheiros teve pouco acesso a administração do diretório. É isso que hoje se cobra da liderança do partido, que se reúna mais, discuta, dê mais atenção para o partido no interior e em Campo Grande. Críticas a companheiros é inadmissível, se aconteceu eu pessoalmente vou conversar com o presidente. Dentro do partido não pode acontecer”, destacou o vice Ulisses Duarte.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Prisão de Temer é importante para amadurecimento da democracia, diz Mourão

BRASIL

TRF-2 definirá recursos de Temer e Moreira na próxima semana

BRASIL

Prisão de Moreira Franco teve ajuda de advogado de voo e de taxista na rua

BRASIL

Presos, repressores da ditadura de Pinochet pedem encontro com Bolsonaro

Mais Lidas