terça, 14 de agosto de 2018

fraude em folha

Ruiter é acusado de comandar
esquema de desvio de dinheiro

Há caso de salário saltar de R$ 4,3 mil para R$ 59 mil

22 JUN 2017Por DA REDAÇÃO06h:00

Três vezes prefeito de Corumbá, Ruiter Cunha (PSDB) é acusado de chefiar complexo esquema criminoso que desviou dinheiro público na ordem de quase R$ 9 milhões, durante seu segundo mandato (2009 a 2012).

Réu na ação penal, o Ministério Público Estadual (MPE) pediu a prisão preventiva de Ruiter por fraudar a folha de pagamento de mais de duzentos servidores municipais, cooptados a realizar empréstimos consignados em instituições bancárias.

 À Justiça, duas testemunhas e um dos nove réus no processo confirmaram que o ex-prefeito liderava a associação criminosa no Município. A infração, segundo eles, consistia em fazer os funcionários pedirem empréstimo para desviar dinheiro dos cofres públicos. 

“Após o recebimento do crédito aprovado, o servidor providenciava o saque integral, ou de vultuosa parte, em espécie, a qual era repassada aos réus Wilson Roberto Fernandes Ferreira, Luciano Silva de Oliveira, Cláudio Luiz Bravo de Almeida e Ênio Castelo, sendo estes encarregados da quota parte do réu Ruiter Cunha de Oliveira”, diz trecho da ação.

Oito pessoas de confiança do prefeito eram responsáveis no aliciamento de funcionários.

*Leia reportagem, de Tavane Ferraresi, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

Leia Também