Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

COFFEE BREAK

Puccinelli não vai ao Gaeco e pede nova data para depoimento

Ainda não foi definida nova data para que o ex-governador preste esclarecimentos

3 SET 15 - 19h:47GABRIEL MAYMONE E GABRIELA COUTO

O ex-governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, que seria ouvido nesta quinta-feira (3), no Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) no âmbito da Operação Coffee Break, pediu para adiar a data da oitiva.

Puccinelli alegou compromissos inadiáveis. Ainda não foi definida nova data para a oitiva.

Das quatro oitivas previstas, apenas duas foram concretizadas, a do vereador Vanderlei Cabeludo (PMDB) e do ex-secretário municipal de Planejamento, Finanças e Controle na primeira fase da gestão de Bernal, Wanderley Ben Hur da Silva.

Após prestar depoimento, o vereador disse à imprensa que não houve compra de votos para cassar o mandato do prefeito. 

Ben Hur, por outro lado, não só admitiu que conheceu Amorim, como disse que o empresário tentou se aproximar dele por indicação do ex-presidente da Câmara Municipal, afastado das funções, Mario Cesar (PMDB). Ele também negou que vereadores tenham recebido vantagens. Para ele, a cassação de Bernal era irreversível.

 

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA

Tribunal da Lava Jato bloqueia bens do MDB e do PSB

POLÍTICA

Deputados da AL são contra retirada do COAF do comando de Moro

Maioria da bancada federal de MS também votou a favor da mudança
CONGRESSO

Maioria dos deputados de MS votam para manter Coaf no Ministério da Justiça

Proposta transfere Coaf da pasta de Justiça para a de Economia
Coadjuvantes, PT e MDB <br>buscam retomar protagonismo
EX GRANDES

Coadjuvantes, PT e MDB buscam retomar protagonismo

Mais Lidas