Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

prazo curto

Polícia envia perguntas para Temer,
que tem 24 horas para responder

5 JUN 17 - 17h:44FOLHAPRESS

A Polícia Federal entregou ao advogado do presidente Michel Temer um questionário sobre o inquérito em andamento no STF (Supremo Tribunal Federal).

O presidente tem 24 horas para responder e tem o direito de ficar em silêncio -contando a partir das 16h30 desta segunda (5).

O horário de devolução das perguntas será perto do início da retomada do julgamento do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Os ministros vão decidir a partir desta terça (6), 19h (de Brasília), se vão cassar a chapa presidencial de 2014, formada por Dilma Rousseff-Michel Temer, o que pode levar ao afastamento do presidente.

De acordo com investigadores, a maioria das perguntas é referente ao áudio gravado secretamente pelo empresário Joesley Batista, dono da JBS, em 7 de março.

Temer é investigado por suspeita de corrupção passiva, organização criminosa e obstrução de Justiça.

Em seu inquérito também está o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), preso no último sábado por determinação do ministro Edson Fachin.

CONSTRANGIMENTO

A defesa de Temer acredita que o envio das perguntas um dia antes do início do julgamento do TSE tem o objetivo de "constranger" e "influenciar" a corte a condenar o presidente.

À Folha de S.Paulo o advogado de Temer no TSE, Gustavo Guedes, disse no domingo (4) que era "legítimo" que a mesma agilidade em pedir que o presidente fosse ouvido fosse aplicada no envio das perguntas. "Querem enviar na segunda, para dar as 24 horas na terça, às 19h, quando começa o julgamento?", questionou o advogado.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Alcolumbre assume Presidência e fala em 'responsabilidade com o povo brasileiro'
INTERINAMENTE

Alcolumbre assume Presidência e fala em 'responsabilidade com o povo brasileiro'

Senado conclui votação da reforma da Previdência
BRASÍLIA

Senado conclui votação da reforma da Previdência

Ministro Marco Aurélio vota contra prisão após condenação em 2ª instância
STF

Ministro Marco Aurélio vota contra prisão após condenação em 2ª instância

Comissão que estuda reforma dos militares suspende sessão para buscar acordo
PREVIDÊNCIA

Comissão que estuda reforma dos militares suspende sessão para buscar acordo

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião