Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

CRISE NO PSL

Não posso esperar o presidente resolver crise partidária, diz Marcos Trad

Prefeito diz que não espera ações do governo federal e tem trabalhado sozinho

22 OUT 19 - 17h:01YARIMA MECCHI E ADRIEL MATTOS

O prefeito de Campo Grande, Marcos Trad (PSD), lamentou a situação do PSL em Brasília e destacou que não pode esperar o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (PSL), resolver a questões partidárias para dar andamento às questões estruturais. Durante agenda na tarde desta terça-feira (22) o administrador da Capital destacou que tem trabalhado com os impostos municipais. 

“Eu nao tenho muito o que fazer, a gente fica chateado que esses temas minúsculos influenciam na vida de todo brasileiro. Uma questão de briga interna, partidária que parou o Congresso”, declarou.

A crise interna do PSL na Câmara dos Deputados tem causado uma grande troca de cadeiras nas lideranças do partido no Congresso. Ontem o deputado e filho de Jair, Eduardo Bolsonaro, foi confirmado como novo líder na Câmara dos Deputados e destituiu os vice-líderes, colocando outros 13 novos nomes, entre eles do deputado estadual de Mato Grosso do Sul, Luiz Ovando. O prefeito crítica que essa não é a primeira vez que Brasília trava por conta das dificuldades do presidente e de seu filho. 

“Eu mesmo estive em Brasília, no mês passado, a discussão maior era a ida ou não do filho do presidente para a embaixada, se era nepotismo ou se não era nepotismo. Quando começaram a acalmar as coisas, agora, veio a briga interna do PSL e Brasília parou, de fato parou. Nós não conseguimos adiantar nada porque está uma confusão partidária e nenhum ministério tem dito nada”, disse lembrando a possível indicação de Eduardo Bolsonaro para assumir a embaixada do Brasil nos Estados Unidos da América.
 
Questionado se deve esperar a tramitação da reforma da Previdência e da inclusão dos estados e municípios no projeto, Trad ressaltou que não espera ações do governo federal e tem trabalhado sozinho. “Eu não posso esperar a questão partidária do presidente da República, a nossa cidade, eu tenho dito para vocês, até agora a gente construiu tudo sozinho, com os impostos de vocês. Eu venho otimizando com os impostos de vocês”, finalizou.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Secretário de Saúde também é citado em suposto esquema de compra de votos
INVESTIGAÇÃO

Secretário de Saúde também é citado em suposto esquema de compra de votos

Bolsonaro assina carta <br>de desfiliação do PSL
OFICIALIZOU SAÍDA

Bolsonaro assina carta
de desfiliação do PSL

CCJ da Câmara adia votação da PEC da segunda instância
BRASÍLIA

CCJ da Câmara adia votação da PEC da segunda instância

Câmara tem protesto e bate-boca após intervenção da Guarda em terminal
TRANSPORTE COLETIVO

Câmara tem protesto e bate-boca após intervenção da Guarda em terminal

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião