Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 10 de dezembro de 2018

Rio Figueira

Mochi rebate crítica da oposição
sobre pontes em Coxim

Petista pede para Executivo Estadual resolver problema do município

14 MAR 2018Por Izabela Jornada14h:30

Presidente da Assembleia Legislativa, deputado Júnior Mochi (MDB) rebateu as críticas do petista Cabo Almi sobre ponte de madeira do Rio Figueira que caiu no município de Coxim, cidade natal de Mochi. O presidente do Legislativo chegou a descer da Mesa Diretora em direção ao plenário e pediu a parte para defender o governador do Estado, Reinaldo Azambuja. "Governo do Estado já abriu processo licitatório para construção de nova ponte de concreto no local", rebateu ele.

“Quero dar notícias que são importantes. Mais ou menos há três meses conseguimos R$1 milhão para fazer a ponte de concreto e o processo licitatório será dia 23 de março e em seguida será aberta ordem de serviço”, afirmou o parlamentar.

Mochi declarou que não adianta concertar a ponte de madeira - danificada há mais de três meses, devido às chuvas torrenciais - e que o melhor é esperar um pouco e fazer a de concreto, pois a diferença de valores é pequena, mas a durabilidade não. “Se arrumarmos a de madeira, logo logo ela cai de novo... uma pessoa já morreu ao cair dessa ponte”, alertou Mochi.

O petista Cabo Almi ocupou tribuna na manhã desta quarta-feira (14) e criticou atuação do Governo do Estado em relação às nove pontes que ficaram danificadas na região. Porém o emedebista declarou que as pontes são todas de responsabilidade do Executivo Municipal. “Não é obrigação do Estado, mas como o município não tem condições, então o governo terá inciativa”, defendeu Mochi.

A ponte fica na região de Coxim que liga Alcinópolis, onde fica a famosa "Curva da Rosa”. Almi chegou a apresentar, durante sessão, vídeo enviado por moradora da região, em que mostra a dificuldade de caminhão de pecuarista para atravessar o rio. Os agropecuaristas precisam ser guinchados por tratores de moradores para conseguirem atravessar o rio, pois pela ponte não é possível. 

ESTADUALIZAR

O debate sobre a possibilidade de estadualizar a ponte não prosseguiu, até porque o presidente da Casa já adiantou que o Legislativo não pode definir nada e que a inciativa deve partir do Executivo, já que a proposta geraria custos ao erário. 

A prefeitura de Coxim também fechou acordo com o Executivo estadual em que o governo se comprometeu a pagar R$ 250 mil que serão destinados a mão-de-obra para a reconstrução das demais pontes. A contrapartida do município é de fornecer as madeiras.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também