Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

REFORMA POLÍTICA

Marun: o fim das coligações vai acabar com “bacanal partidário”

Marun: o fim das coligações vai acabar com “bacanal partidário”
09/09/2017 07:00 - Redação


 

Os deputados estaduais e federais de Mato Grosso do Sul defenderam a aprovação pela Câmara dos Deputados do fim das coligações no País. A avaliação é da nova regra acabar com “partidos de aluguéis” e viabilizar a governabilidade. “É o fim desse bacanal partidário”, afirmou o deputado federal Carlos Marun (PMDB). Um dos maiores problemas para acertar alianças políticas é negociar com mais de 30 partidos.

O presidente regional do PMDB e da Assembleia Legislativa, deputado Junior Mochi, considera praticamente impossível governar conversando com muitos partidos. “Esses eram pontos fundamentais. Não há como governar um país e um Estado com um número de partidos que temos. É inadimissível. Não tem nação no mundo com essa quantidade de legendas”. 

Para quem faz parte de siglas pequenas, como é o caso do deputado estadual Lídio Lopes (PEN), a alternativa é recorrer a nomes de peso para  sobreviver após as novas regras. “Com a candidatura a presidente da República do Jair Bolsonaro (PSC) pelo nosso partido vamos acabar fortalecidos e tendo votos suficientes no Estado para permanecermos”. 

*Reportagem completa de Gabriela Couto está na edição de hoje do Correio do Estado.

 

Felpuda


Dez vereadores da Capital mudaram de partido na tentativa de encarar a reeleição ou, dependendo do caso, disputar a vaga de vice-prefeito. Legendas foram “engordadas”, outras entraram em estado de inanição e outras ainda simplesmente sumiram do mapa. Que ninguém ouse perguntar a quem “trocou de camisa” qual a linha programática dos partidos em que agora estão filiados. Seria para eles, digamos, questão de pouca importância. Política tem dessas coisas...