Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

RELATOR FAVORÁVEL

Marun fala em medida contra<br> Sergio Zveiter no PMDB

Deputado pelo RJ deu parecer favorável à denúncia do presidente
11/07/2017 15:29 - RODOLFO CÉSAR, COM AGÊNCIA CÂMARA


 

O deputado Carlos Marun, que encabeça o grupo de defesa do presidente Michel Temer, afirmou hoje durante sessão da Comissão de Constitutição e Justiça (CCJ) da Câmara que o relator Sergio Zveiter (RJ) deveria sofrer alguma medida pelo PMDB.

Zveiter foi favorável à denúncia do presidente e está no mesmo partido de Temer. Ele leu o relatório na primeira reunião da CCJ ontem. "Não sei se é o caso de o deputado sair do partido, porque defendeu uma punição mesmo sem provas", opiniou Marun.

O parlamentar por Mato Grosso do Sul, junto com outro nove integrantes do PMDB, incluindo o lídero do partido, Baleia Rossi (SP), apresentaram parecer alternativo ao de Sergio Zveiter, que recomenda a Câmara a não autorizar o prosseguimento da denúncia.

"O pusilânime relatório ontem apresentado será derrotado na CCJ e venceremos no plenário. O próprio relator reconhece a inexistência de provas. É absurdo que em uma situação como esta se recomende o afastamento de um presidente. É covardia querer jogar a responsabilidade para o STF", defendeu Marun.

Se o relatório de Zveiter for rejeitado na CCJ, um alternativo pode ser utilizado como documento final, que é encaminhado para o plenário da Câmara.

"Nós deputados é que temos que ter a coragem de reafirmamos um dos princípios básicos da civilização e da vida democrática, ou seja, que 'Ninguém pode ser punido sem que esteja comprovada a sua culpa'. Fora disto é oportunismo e barbárie", defendeu Carlos Marun.

VOTAÇÃO

Outra questão tratada como prioridade pelos deputados que defendem Temer é a data de votação do relatório final. O presidente da comissão Rodrigo Pacheco (PMDB-MG) disse que deve haver votação até sexta-feira (14). A data é crucial porque a segunda-feira (17) é o último dia de trabalho dos deputados antes do recesso de duas semanas.

Durante a sessão, pode haver a participação dos 122 integrantes da CCJ e de mais 40 deputados não membros. Se todos participarem, a discussão pode levar até 40 horas para ser finalizada.

Felpuda


Alguns políticos estão se aproveitando deste momento preocupante de pandemia para sugerir projetos oportunistas que, em alguns casos, são de resultados extremamente duvidosos. O mais interessante – para não dizer outra coisa – é que se for analisado o desempenho normal dessas figuras, verifica-se que essa preocupação toda nunca esteve no topo das suas prioridades. Ano eleitoral é assim mesmo. Lamentável!