Campo Grande - MS, domingo, 19 de agosto de 2018

processo presidencial

Marun admite dificuldade na base
para barrar denúncia contra Temer

Vice-líder do governo vê problemas em seis votos de aliados

7 JUL 2017Por DA REDAÇÃO06h:00

O presidente Michel Temer (PMDB) não tem votos suficientes na Comissão de Constituição e Justiça para se livrar da denúncia da Procuradoria-Geral da República por corrupção passiva.

Ontem, o vice-líder do governo, deputado federal Carlos Marun (MS), reconheceu que na comissão não há o apoio necessário da própria base aliada, em especial do PSDB. “Temos problema de seis votos da base”, afirmou. 

Nesta semana, Temer recebeu no Planalto pelo menos oito titulares da comissão, entre eles o deputado federal Elizeu Dionízio (MS), Silvio Torres (SP), e Paulo Abi-Ackel (MG).

Ao contrário dos outros quatro tucanos, integrantes da comissão e favoráveis ao presidente, esses três deputados têm mantido silêncio sobre o voto.

Na CCJ, Temer precisa ter maioria simples — 34 votos,  para a aprovação de um relatório favorável ou rejeição de um parecer desfavorável.

Para governistas, a eventual aprovação de um parecer que peça a aceitação da denúncia pode ter um efeito cascata na votação no plenário — é necessário o mínimo de 172 votos para ser recusada a autorização de processo formal contra o presidente no STF.

*Leia reportagem, de Tavane Ferraresi, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

Leia Também