Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 16 de janeiro de 2019

CAMPO GRANDE

Marcos Trad diz que cumprirá
metas para disputar reeleição

O desafio dele é cumprir até 2020 todas as propostas feitas na campanha eleitoral de 2016

12 JAN 2019Por TAVANE FERRARESI05h:00

Eleito em 2016, com 241.876 mil votos, o prefeito de Campo Grande, Marcos Trad (PSD), já sinaliza a intenção de disputar a reeleição em 2020. “É natural”, disse ele ao ser questionado sobre o desejo de continuar no Paço Municipal. “Se essa for a vontade de Deus”, emendou.

Trad possui como meta alcançar o 1º lugar entre os prefeitos das 26 capitais do Brasil. Ele se encontra atualmente, segundo levantamento feito pelo G1, no 2º lugar, atrás apenas do prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchesan Júnior (PSDB).

Das propostas feitas durante a campanha eleitoral, o prefeito da Capital revelou ter cumprido 72%. “Até 2020, todas as propostas serão realizadas. Faltam 28%”, disse. Entre as que ainda não foram completadas está a instalação de Clínicas da Família nas sete regiões de Campo Grande.

“Quero a multiplicação das Clínicas da Família. Conseguimos implantar uma e, até o fim do mandato, todas as sete regiões de Campo Grande terão uma”, garantiu. Criada para dar atendimento diferenciado em relação às outras unidades de saúde, a primeira clínica deste modelo foi inaugurada no Bairro Nova Lima, em agosto do ano passado.

ADVERSÁRIOS

Logo no fim da eleição de 2018, Marcos Trad procurou não demonstrar intimidação com lideranças emergentes da política que tiveram boa votação. “Que eles se preparem, porque eu ‘tô’ cuidando da cidade”, avisou ele, numa referência aos virtuais adversários de 2020.

Naquele pleito, entre os 13 candidatos ao Senado, o procurador de Justiça Sérgio Harfouche (PSC) foi o mais votado em Campo Grande. Ele não saiu vitorioso, mas obteve mais votos que o irmão do prefeito, o senador eleito Nelsinho Trad (PTB). (Harfouche recebeu 163.314 e Nelsinho, 153.613 votos). 

Outro rival em potencial do prefeito é a deputada federal eleita, Rose Modesto (PSDB). Na última eleição municipal, ela disputou com Trad a vaga na prefeitura. Enquanto ele conquistou 58,77% dos votos, a tucana recebeu 169.660 votos, o que corresponde a 41,23%. A popularidade de Rose desde então, continua expressiva, haja vista o desempenho obtido no pleito de 2018, quando elegeu-se em primeiro lugar, com 120.901 votos.

Derrotado no segundo turno pelo governador reeleito Reinaldo Azambuja (PSDB), o ex-juiz federal Odilon de Oliveira (PDT) já admitiu a hipótese de enfrentar o prefeito em 2020. Ele conquistou 215.193 votos na Capital, perdendo por diferença de 28.549 votos para o governador no maior colégio eleitoral do Estado.

Além destes já citados, outro líder em ascensão é o deputado estadual eleito Coronel David (PSL). Próximo do presidente Jair Bolsonaro (PSL), ele teve 45.093 votos na corrida por uma das vagas da Assembleia Legislativa. Com isso, se tornou mais um nome forte para concorrer à Prefeitura de Campo Grande.

Afilhado político do ex-governador André Puccinelli (MDB), o deputado estadual Márcio Fernandes (MDB) também deverá enfrentar Trad nas próximas eleições. 

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também