Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

EM 2020

Márcio Fernandes do MDB
quer ser prefeito de Campo Grande

Deputado disse que Junior Mochi deu apoio total ao projeto

7 NOV 18 - 13h:18IZABELA JORNADA

Deputado estadual Márcio Fernandes MDB declarou que pretende se candidatar a prefeito de Campo Grande em 2020. “Já era pra eu ser na (eleição) passada mas resolvi adiar esse projeto”, disse o parlamentar.

Fernandes está em seu quatro mandato na Casa de Leis e declarou que já tem o aval do presidente da Assembleia deputado Júnior Mochi (MDB). “Júnior Mochi me deu total apoio nesse projeto”, reforçou ele.

O deputado defendeu que o MDB precisa voltar a ser protagonista nas eleições do Estado. “Agora entendo que chegou minha vez e também o MDB apresentar uma opção”, disse.

De acordo com Fernandes, conversar ainda serão marcadas com integrantes do partido para avaliar a proposta. “MDB não teve candidatura própria em 2016 e isso não gerou bons resultados”, defendeu ele. 

No ano de 2016, o parlamentar disse que seu nome foi cotado para a disputa da Prefeitura de Campo Grande, mas ele desistiu de última hora. “Aquele não era o momento”, justificou.

LIDERANÇAS EMERGENTES

Há dois dias o Correio do Estado publicou sobre o resultado das eleições deste ano, em que novas lideranças foram reveladas em Mato Grosso do Sul. Novoso nomes tiveram número significativo de votos e poderão tomar o posto dos políticos mais tarimbados a partir das próximas eleições. Essa manifestação do eleitor de buscar a renovação, acendeu sinal de alerta, inclusive, no prefeito de Campo Grande, Marcos Trad (PSD). Até 7 de outubro, data da eleição do primeiro turno, ele não tinha adversários para ameaçar a sua reeleição no pleito de 2020, por falta de lideranças com densidade eleitoral nos grandes partidos.

A disputa eleitoral deste ano abriu caminho para estreantes sonharem com as eleições municipais, em 2020. Um deles é o procurador de Justiça, Sérgio Harfouche (PSC). Ele concorreu ao Senado sem apoio, sem estrutura e foi o mais votado em Campo Grande com 163.314 votos. Harfouche não foi eleito, ficou em terceiro lugar no total dos votos.

O procurador declarou que o Senado é seu projeto principal, mas que não descarta essa possibilidade, de ser candidato a prefeito de Campo Grande.

Outro que também sinalizou a possibilidade foi o juiz Odilon de Oliveira (PDT). Ele deu susto no governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB) com sua expressiva votação em Campo Grande. O governador recebeu 243.742 votos e o juiz 215.193. A diferença em favor de Azambuja foi de 28.549 votos, bem longe da votação recebida em 2014, quando bateu o então senador Delcídio do Amaral (PT na época)  por 123.872 votos de vantagem.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

CRÍTICAS

Toffoli diz que não são heróis
que resolvem os problemas

Força-tarefa da Lava Jato sofreu derrotas no Supremo
PRISÃO PREVENTIVA

Tucano Beto Richa, ex-governador do Paraná, é preso pela terceira vez

Ele já foi detido num desdobramento da Lava Jato
Compromisso do Patriotas <br>com prefeito vai até 2020
ALIADOS

Compromisso do Patriotas
com prefeito vai até 2020

BRASIL

Malafaia diz que atribuir vitória de Bolsonaro a Olavo é 'simplesmente ridículo'

Mais Lidas