Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sábado, 17 de novembro de 2018

eleições

Mandetta admite fusão
do PSD e PSB com DEM

Intenção é criar força para a disputa eleitoral

19 JUL 2017Por DA REDAÇÃO05h:00

Para entrar na disputa eleitoral com força igual à dos partidos grandes, o DEM, do deputado federal Luiz Henrique Mandetta (MS), articula a fusão com o PSD, do prefeito Marcos Trad, “e com outras siglas que tenham a mesma ideologia que a nossa”.

“Tudo isso para ter mais viabilidade de eleger nos estados governador, senador e, também, ter mais tempo de TV”, explicou Mandetta. Para ser validada, a união dos partidos tem de ocorrer até um ano antes das eleições.

Além da igualdade com legendas como PMDB, PSDB e PT, o DEM também busca a cooptação de parlamentares descontentes. Isso porque, pela legislação atual, deputados e vereadores só podem realizar a troca partidária – sem correr o risco de perder o mandato, se forem para um partido recém-criado ou decorrente da união de legendas.

O entendimento é de que o mandato pertence ao partido que elegeu o candidato. Senadores, prefeitos e governadores, no entanto, não estão sujeitos a esta regra, pois são titulares de cargos majoritários.

“Acontecendo a fusão do DEM e PSD ou do DEM com qualquer outra legenda pequena, esses descontentes terão oportunidade para trocar de partido”, ressaltou.

*Leia reportagem, de Tavane Ferraresi, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também