Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

DEPOSITOU AO STF

Loures devolve R$ 35 mil que faltavam
na mala de dinheiro que entregou

25 MAI 17 - 15h:29G1

O deputado afastado Rodrigo da Rocha Loures (PMDB-MG) informou nesta quinta-feira (25) ao Supremo Tribunal Federal que realizou na quarta (24), em uma conta do STF, o depósito judicial dos R$ 35 mil que faltavam entregar à Justiça. Ele entregou comprovante do depósito judicial feito na quarta-feira (24).

Loures foi filmado pela Polícia Federal recebendo uma mala de dinheiro em um restaurante nos Jardins, na capital paulista. Na última terça-feira (23), ele comunicou oficialmente ao Supremo que devolveu à Polícia Federal a mala, com R$ 465 mil (em 9.300 notas de R$ 50). O delator Ricardo Saud, diretor da J&F, disse que entregou pessoalmente a Loures a mala com R$ 500 mil. Na petição que protocolou no Supremo, o deputado não explica por qual motivo só devolveu agora a diferença de R$ 35 mil.

"Rodrigo Santos da Rocha Loures, por seus advogados, nos autos da ação cautelar nº 4328, vem perante Vossa Excelência informar que realizou na data de ontem o depósito judicial de R$ 35.000,00 (trinta e cinco mil reais), quantia esta relacionada à investigação conduzida nos autos do inquérito nº 4483, conforme guia de depósito judicial ora apresentada (doc. 1). O referido montante encontra-se depositado na conta nº 86400176-5, agência nº 3133, da Caixa Econômica Federal", diz a petição enviada ao ministro Fachin.

Joesley Batista, dono da JBS, que também fez delação, marcou um encontro com Rocha Loures em Brasília e contou sobre uma demanda da empresa no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Pelo serviço, segundo a delação, Joesley ofereceu propina de 5%, e o deputado deu o aval.

Ex-assessor de Temer

Ex-assessor de Michel Temer no Palácio do Planalto, Loures é apontado como intermediário do presidente para assuntos do grupo J&F com o governo. Por decisão do ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), ele foi afastado do mandato de deputado.

Segundo a investigação, Temer teria indicado o deputado afastado para resolver uma disputa relativa ao preço do gás fornecido pela Petrobras à termelétrica do grupo JBS.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Senadora é derrotada em Medida Provisória contra jornais impressos
PUBLICAÇÕES EM JORNAIS

Senadora é derrotada em MP contra jornais impressos

BRASÍLIA

Nas redes sociais, Bolsonaro critica invasão à embaixada da Venezuela no Brasil

Pacotes de medidas fiscais do governo é aprovado; veja como cada deputado votou
AJUSTE TRIBUTÁRIO

Pacotes de medidas fiscais do governo é aprovado; veja como cada deputado votou

Em partido de Bolsonaro, expectativa é quem será presidente no Estado
ALIANÇA PELO BRASIL

Em partido de Bolsonaro, expectativa é quem será presidente no Estado

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião