OLARTE

Justiça decide manter condenação, mas Olarte continua em liberdade

Ele foi condenado a oito anos e quatro meses de prisão em maio deste ano
13/09/2017 12:47 - BÁRBARA CAVALCANTI


 

A Justiça decidiu manter a condenação de oito anos e quatro meses de prisão do ex-prefeito Gilmar Olarte. A decisão foi tomada hoje (13) pelos desembargadores da Seção Especial Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul.  

O advogado de Olarte, Renê Siufi, explicou que vai entrar com outro recurso, um pedido de nulidade da decisão, desta vez no Superior Tribunal de Justiça (STJ).  

O julgamento de hoje já era uma tentativa da defesa de anular a condenação dada em maio deste ano. O ex-prefeito responde o processo em liberdade e é monitorado por meio de tornozeleira eletrônica. A decisão de hoje não altera a situação e Olarte continuará respondendo em liberdade. 

"Cabe recurso e agora eu vou pedir nulidade no Superior Tribunal de Justiça", declarou o advogado Renê Siufi.   

O CASO 

Gilmar Olarte foi condenado há oito anos e quatro meses de prisão em regime fechado, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no dia 24 de maio deste ano.   

O ex-prefeito e um assessor especial foram acusados de pedir cheques em branco a fiéis, para ajudar a pagar a campanha eleitoral de 2012. 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".