Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

prazo não cumprido

JBS tem prazo ampliado em 60 dias para apresentar novos anexos a sua delação

Prazo inicial para a entrega venceu ontem

1 SET 17 - 17h:02AGÊNCIA BRASIL

O ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu mais 60 dias para que o empresário Joesley Batista apresente novos anexos a sua delação premiada, incluindo provas adicionais que comprovem seus depoimentos.

Fachin acatou pedido feito pelo próprio delator e seguiu parecer da Procuradoria-Geral da República (PGR), que concordou com a solicitação. O prazo inicial para a entrega de anexos venceu ontem (31), mesma data em que a prorrogação foi assinada pelo ministro.

O ministro disse não haver nenhum obstáculo legal para a “retificação ou dilação temporal” da delação, contanto que “sem adentrar à mudança substancial no pactuado, congruente com a eficácia e a efetividade da colaboração premiada.”

Para embasar sua decisão, Fachin citou precedentes em que a medida também fora autorizada pelo falecido ministro Teori Zavascki, relator anterior da Lava Jato no Supremo.

Joesley e seu irmão Wesley Batista, acionistas principais do grupo J&F – bem como os executivos Ricardo Saud, Demilton de Castro, Valdir Boni, Florisvaldo Caetano e Francisco de Assis e Silva – assinaram acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal (MPF) para entregar esquemas de corrupção envolvendo cerca de 2 mil políticos.

O acordo prevê que eles não sejam denunciados pelos procuradores pelos crimes confessados na delação.

A delação de Joesley serviu de base para a primeira denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente Michel Temer, a quem acusou de corrupção passiva após o empresário entregar gravações de conversas suspeitas com o mandatário.

Segundo informações publicadas ontem (31) pelo jornal O Globo, Joesley utilizará o novo prazo para entregar mais áudios que comprometeriam políticos no exercício de seus cargos.

À TV Brasil, o advogado Pierpaolo Bottini, que participa da negociação do acordo de delação premiada do grupo J&F, confirmou nesta sexta-feira (1º) que uma primeira leva de novas informações foi entregue ontem (31) ao MPF.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Reforma da Previdência de MS diverge da Constituição Federal
APOSENTADORIA E PENSÕES

Reforma da Previdência de MS diverge da Constituição Federal

Chefe do MPMS defende aumento de R$ 7,9 mil para magistrados
PODERES

Chefe do MPMS defende aumento de R$ 7,9 mil para magistrados

Ministro Sérgio Moro é aprovado por 53% dos brasileiros, diz pesquisa
DATAFOLHA

Ministro Sérgio Moro é aprovado por 53% dos brasileiros, diz pesquisa

POLÊMICO

Carlos Bolsonaro volta ao Twitter após período 'sabático' nas redes

Afastamento foi recomendado pelos advogados por conta dos trabalhos da CPI das Fake News

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião