Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

RESPOSTA

JBS solicita mais tempo para <br>conseguir responder CPI dos TAREs

Prazo para entregar documentação solicitada vence hoje
03/07/2017 16:55 - IZABELA JORNADA


A J&F, holding que controla a JBS, entregou na tarde de hoje à CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) das Irregularidades Fiscais e Tributárias de Mato Grosso do Sul um documento em resposta ao ofício dos deputados.

A comissão solicitou cópias dos Termos de Ajustamento de Regime Especial (TAREs) firmados com o Governo do Estado, bem como os aditivos, notas fiscais, detalhamentos sobre os incentivos fiscais concedidos e esclarecimentos sobre o cumprimento ou não do que foi pactuado.

No documento, a J&F solicita prazo adicional de 45 dias, contados a partir de hoje, ou “dilação do prazo que os nobres deputados considerarem razoável para reunir os documentos”.

A J&F agradeceu ainda a oportunidade de comparecer perante a Comissão e afirma que “comparece de boa-fé e com interesse em fornecer os subsídios necessários aos trabalhos da CPI”.

O motivo para a prorrogação do prazo seria, segundo a companhia, o grande número de documentos que vem sendo solicitados por outros órgãos da Justiça desde que os irmãos Joesley e Wesley Batista assinaram o acordo de leniência e colaboração premiada.

Ao receber o documento, o presidente da CPI, deputado Paulo Corrêa (PR), afirmou que agora o pedido da J&F será analisado pela Comissão.

“Hoje terminaria o prazo e eles se manifestaram pedindo essa prorrogação, o que é legalmente aceito. Na próxima reunião da CPI, na quarta-feira, vou colocar isso em discussão e todos os membros decidirão sobre a prorrogação do prazo”, explicou Paulo Corrêa.

Felpuda


Sindicalista defende o fim de mordomias e privilégios dos políticos e dos integrantes de outros Poderes, conforme divulgação feita por sua assessoria. Para ele, está na hora de se colocar um basta nessa situação, questionando, inclusive, o número de parlamentares e de assessores. Entretanto, não demonstra a mesma aversão por aqueles dirigentes de sindicatos que se perpetuam no poder e que comandam mais de uma entidade, assim como ele. Afinal, o exemplo deve vir de casa, né?