Campo Grande - MS, segunda, 20 de agosto de 2018

Assembleia Legislativa

JBS entrega documento e admite descumprimento de acordo

Diante da confissão, deputados cancelaram viagem a Ponta Porã

16 AGO 2017Por Izabela Jornada12h:13

Advogado José Wanderley Bezerra, contratado para defender a JBS nas denúncias levantadas pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa sobre possíveis irregularidades fiscais do Estado, apresentou documento ao presidente da CPI, deputado Paulo Corrêa (PR), admitindo que a empresa não cumpriu com os investimentos firmados por meio do primeiro Termo de Acordo de Regime Especial (Tare).

Devido a confissão de que a planta de Ponta Porã não cumpriu com acordo de investimento, interagentes da Comissão desmarcaram a região de fronteira e já ratificaram a próxima investigação. "Vamos continuar com as fiscalizações. Quarta que vem vamos à planta 1 de Campo Grande", disse Corrêa.

O primeiro Tare diz respeito a R$ 285 milhões de investimentos que a empresa deveria fazer em contrapartida ao incentivo de R$ 90 milhões cedido pelo Estado.

O deputado Paulo Siufi (PMDB) pediu para que a CPI já solicitasse, por meio da Justiça, o ressarcimento desse primeiro Tare. "Não vamos agir com pressa. Vamos habilitar a CPI e pedir o ressarcimento total ao erário", respondeu o deputado Eduardo Rocha (PMDB).

Mas Siufi, durante reunião da CPI, que aconteceu hoje de manhã, continuou justificando a pressa. "Peço agilidade porque tem muitos funcionários do Estado sem receber aumento. Se o Estado está sem dinheiro, essa seria uma maneira de resolver o problema", ratificou o peemedebista.

O presidente da comissão, porém, não aceitou a ideia de Siufi e as investigações vão seguir conforme programado anteriormente. "Temos um cronograma e uma estratégia que estamos seguindo", explicou Corrêa.

O próximo Tare a ser investigado diz respeito ao trânsito de boi em pé. "Esse é o Tare mais importante. Eles levavam boi em pé fora do Estado com incentivos fiscais cedidos pelo Governo", declarou o presidente.

Parlamentares sinalizaram que vão tentar agendar com a bancada federal do Estado e o Senado para discutirem estratégias sobre a CPI.

O documento de confissão da JBS foi entregue ao presidente da CPI, ontem à tarde, às 15h, e digitalizado.

Leia Também