Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

CPI DO PALANQUE

Instaurada CPI que vai investigar aumento na energia elétrica

Comissão terá 120 dias para concluir apuração

12 NOV 19 - 12h:00BRUNA AQUINO E IZABELA JORNADA

Depois de muita polêmica sobre o futuro da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que vai apurar possíveis irregularidades na empresa responsável por fornecer energia elétrica em Mato Grosso do Sul, a Energisa, os 23 deputados assinaram o documento e nesta terça-feira (12), o presidente da Assembleia Legislativa, o deputado Paulo Corrêa, anunciou durante sessão ordinária a instauração da comissão que vai apurar a medição de energia elétrica. 

A CPI que no ínicio virou polêmica, uma vez que os deputados não assinaram o documento alegando que faltava fato determinado para abertura da comissão, disseram que o deputado Renan Contar (PSL)- representante do documento- estaria usando a ideia como palanque para se promover, uma vez que o próprio é a proposta do PSL estadual, liderado pela senadora Soraya Tronicke, para concorrer a Prefeitura de Campo Grande, em 2020. 

Tal polêmica chegou a respingar na Câmara Municipal e vereadores até tentaram pegar uma carona na história- mas não deu muito certo. A CPI na Casa foi barrada pelo presidente por incostitucionalidade, uma vez que a Câmara não tinha competência legal para atuar de forma direta em uma Comissão desse porte. Mesmo assim, foi criada uma comissão especial que vai ajudar a investigar as causas, mas que assim que apuradas, serão repassadas aos órgãos competentes. 

A CPI então foi reformulada pelo deputado Felipe Orro (PSDB) que apresentou fato determinado  para conseguir o número de assinaturas- no total foram 23- e a comissão chegou a ser instaurada. 

PRÓXIMOS PASSOS

Os integrantes da Comissão definidos serão Felipe Orro- proponete do grupo, Renan Contar e João Henrique Catan (PL) que vão representar outros blocos da Assembleia e Evander Vendramini (PP) que ficou como suplente e ainda falta preencher mais uma vaga para segundo suplente. Depois que o grupo estiver formado, será escolhido oficialmente o relator e o presidente durante reunião. 

De acordo com Orro, provavelmente amanhã terá reunião e, futuramente, todos os envolvidos serão ouvidos, principalmente “funcionários, a empresa e sindicato”, mencionou. 

Corrêa adiantou que não haverá custeio da CPI e de contratação de pessoal para atuar na comissão. “Assembleia tem servidores, advogados e técnicos que serão cedidos, não terá custo”, afirmou. 

Sobre os curtos, Orro disse que nunca participou de uma CPI mas acredita que vão minimizar os custos”, finalizou o parlamentar.

 

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

POLÍTICA

PSDB terá candidato à Presidência em 2022, garante Bruno Araújo

MUDANÇAS

Congresso do PSDB vai marcar guinada à direita

Governador de MS, Reinaldo Azambuja, participa do evento
CONGRESSO NACIONAL

Bancada ruralista cobra apoio e se afasta do governo

BRASÍLIA

Deputados ouvem presidente do Banco do Brasil sobre possível privatização

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião