Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

BRASIL

Heleno lamenta prisão de militar com droga e diz que caso não se repetirá

10 JUL 19 - 13h:53ESTADÃO CONTEÚDO

Em audiência na Câmara dos Deputados, o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, e representantes do Ministério da Defesa e da Aeronáutica não trouxeram informações adicionais, em suas exposições iniciais, sobre o caso do sargento da Força Aérea Brasileira preso com cocaína na Espanha em tripulação de aeronave que acompanhava a comitiva do presidente Jair Bolsonaro no dia 25 de junho passado

Sem prestar informações sobre a investigação, Augusto Heleno disse que o caso está sendo apurado e será solucionado. O general se disse triste pelo episódio porque a tripulação normalmente é escolhida "a dedo". "É lamentável o fato porque as populações que trabalham e transitam com as aeronaves são escolhidas a dedo", disse o ministro, na manhã desta quarta-feira, 10, na Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados. 

"Teremos condições de dizer que o problema foi saneado e não acontecerá de novo", disse o general. "Medidas de prevenção são adotadas regularmente e elas serão reforçadas. Ninguém está se excluindo da responsabilidade. Sabemos que a responsabilidade é nossa, conjunta, do GSI e do Comando da Aeronáutica. E vamos enfrentar o que aconteceu com transparência e vontade de que não se repita", disse o ministro.

Em sua exposição, o tenente-brigadeiro do Ar Carlos Augusto Amaral Oliveira, representando a Aeronáutica, disse que medidas vêm sendo tomadas como aumentar o nível de segurança e "reduzir a vulnerabilidade" de procedimentos de embarque e desembarque e controle de operações da FAB". 

"A conduta desse tripulante é inaceitável nas fileiras de nossa Força Aérea. Repudiamos o acontecido nesse processo que nos envergonha bastante. Tomaremos ações administrativas e disciplinares para prevenir novas ocorrências", disse Oliveira.

O tenente-brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior, que, por sua vez, representou o Ministério da Defesa, prometeu punição exemplar dos culpados, disse que o ocorrido é uma exceção aos valores das três Forças militares. Também afirmou que é importante analisar a situação das drogas como um todo no País.

"É bastante importante nós também nos ombrearmos com a população brasileira e fazer reflexão sobre as drogas no País. Esta é uma chaga que tem assolado nosso país nos últimos 30, 40 anos de forma muito importante. É um problema que os três Poderes e a sociedade como um todo deve combater, nas áreas de saúde, educação, direitos humanos, e justiça também. Pensamos que o triste fato que ocorreu é oportunidade para pensarmos nas nossas ações e prol do combate à droga", disse Baptista Junior.

Após as exposições, foi aberta uma rodada de perguntas para deputados presentes à sessão.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Prefeito pede e vereadores votam previdência em urgência
CAMPO GRANDE

A pedido de Trad, Câmara vota previdência em urgência

Com reajuste em pauta, professores lotam Câmara para última sessão do semestre
EDUCAÇÃO

Com reajuste em pauta, professores lotam Câmara

Geraldo Resende deixa Saúde para assumir posto em Brasília
POLÍTICA

Geraldo Resende deixa Saúde para assumir posto em Brasília

Vereadores são nomeados para atuarem durante às férias
RECESSO PARLAMENTAR

Vereadores são nomeados para atuarem durante às férias

Mais Lidas