Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

BRASIL

'Há movimento claro para anular condenações e impedir investigações', diz Moro

19 JUN 19 - 11h:43ESTADÃO CONTEÚDO

Em audiência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, apontou que há movimento de um "grupo criminoso" para anular condenações, impedir investigações e atacar instituições por trás da divulgação de supostas mensagens trocadas por ele com procuradores da Lava Jato durante a operação.

"Todas as hipóteses estão abertas. Não é um grupo de pessoas despreparadas; me parece ser um grupo de pessoas que parece ter muito dinheiro", declarou Moro, ao ser perguntado pelo senador Marcos do Val (Cidadania-ES) se suspeitava do envolvimento de estrangeiros na invasão de celulares. "Pode ser que tenha havido um estrangeiro, não necessariamente poder estrangeiro", respondeu. 

O ministro afirmou que a Polícia Federal está investigando o caso e manifestou expectativa de que o trabalho chegue nos responsáveis. Ele declarou que não interfere nem acompanha as diligências. 

Moro fez um apelo para que o Congresso se concentre no presente e no futuro, e não em "falsos escândalos". "Não tenho nenhum problema com a divulgação de material, desde que não adulterado ou veiculado como sensacionalismo, como de fato foi feito." Ele negou que tenha sido parcial na condução dos julgamentos e disse que as decisões foram submetidas a instâncias recursais superiores.

"Qual é o conluio? Qual é a convergência? O que havia no fundo era muita divergência. Agora, também houve parcial convergência, não quer dizer que eu, absolvendo alguém, tenha conluio com advogado e que, condenado alguém, tenha conluio com o Ministério Público", declarou, citando que, dos 291 acusados, 211 foram condenados e 63 foram absolvidos.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

VAZA-JATO

Procuradores trocaram mensagens sobre Flávio Bolsonaro, afirma site

Deputados propõem liberar venda de remédios sem aval da Anvisa
ECONOMIA

Deputados propõem liberar venda de remédios sem aval da Anvisa

Sem oposição na Câmara, <br>Trad administra com tranquilidade
LEGISLATIVO

Sem oposição na Câmara, Trad administra com tranquilidade

BRASIL

Exército enquadra tuítes políticos de militares da ativa

Mais Lidas