Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

MIRANDA

Eleitores têm até às 17h para escolher novo prefeito de Miranda

Ex-prefeita e vice tiveram mandatos cassados

6 OUT 19 - 13h:45YARIMA MECCHI

Os 18,8 mil eleitores de Miranda, interior de Mato Grosso do Sul, tem até às 17h para escolher o novo prefeito da cidade. A um ano das eleições municipais serem realizadas em todo Brasil, o município precisa escolher um novo administrador após a chapa eleita em 2016 ser cassada pelo Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul  (TRE-MS) e a Justiça determinar um novo pleito. 

A então prefeita Marlene de Matos Bossay (MDB), o vice Adailton Rojo Alves (PTB) e seu filho e vereador Ivan Bossay, eleitos em 2016, tiveram seus diplomas cassados por decisão do juiz eleitoral Alexsandro Motta, da 15ª Zona Eleitoral, em razão de prática de captação ilícita de sufrágio e de abuso de poder econômico, mediante compra de votos na Aldeia Lalima, de Miranda.

A determinação de um novo pleito consta da Resolução nº 660, já em vigor, expedida ad referendum do Tribunal Pleno do TRE-MS, pelo desembargador Divoncir Schreiner Maran, presidente em exercício do TRE.

Os eleitores da cidade deverão ir às urnas para escolher entre Edson Moraes (Patriota), atual prefeito interino, Jorginho Cordella (Solidariedade), Valter Ferreira (DEM) e Zé Lopes (PV) para administrar a cidade por um ano até o pleito de 2020 quando todas as cidades do Brasil escolhem seus prefeitos, que devem ter mandato de quatro anos. 

CASSADOS
De acordo com o TRE, Marlene Bossay, Adailton Rojo Alves e Ivan Bossay, eleitos em 2016, tiveram seus diplomas cassados em razão de prática de captação ilícita de sufrágio e de abuso de poder econômico, mediante compra de votos na Aldeia Lalima.

Após o julgamento de recurso eleitoral interposto por Marlene, ocasião em que foi confirmada a cassação do seu diploma pelo TRE, foram ajuizados, ainda pelos afastados, dois embargos de declaração contra a decisão proferida no recurso eleitoral, tendo o Tribunal rejeitado e considerado meramente protelatórios os embargos de declaração opostos pela segunda vez.

Assim, a Procuradoria Regional Eleitoral apresentou pedido de providências à execução imediata da decisão de afastamento de Marlene Bossay, Adailton Alves e Ivan Bossay.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

POLÍTICA

ACM Neto nega fusão do DEM com o PSL: 'Não tem sentido se envolver na confusão'

Maia defende reforma tributária para combater desigualdade
BRASIL

Maia defende reforma tributária para combater desigualdade

Convocado, ministro do Turismo depõe sobre candidaturas-laranja do PSL
BRASÍLIA

Convocado, ministro do Turismo depõe sobre candidaturas-laranja do PSL

POLÍTICA

Senado deve concluir terça-feira votação de mudanças na Previdência

Projeto precisa alcançar o mínimo de 49 votos favoráveis

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião