Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

delação jbs

Eduardo Cunha diz que seu
silêncio 'nunca esteve à venda'

14 JUN 17 - 15h:47FOLHAPRESS

Em depoimento à Polícia Federal, o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) declarou nesta quarta (14) que seu silêncio "nunca esteve à venda", e negou qualquer recebimento de propina para não fazer delação.

O nome de Cunha foi mencionado por delatores da JBS, que afirmaram, em conversa gravada com o presidente Michel Temer (PMDB), que ele recebeu dinheiro, já preso, para não delatar. O empresário Joesley Batista afirmou à Procuradoria-Geral da República que pagou R$ 5 milhões ao peemedebista.

"Ele refutou com veemência. O silêncio dele nunca esteve à venda", afirmou o advogado Rodrigo Sánchez Rios, que defende Cunha.

No depoimento, Cunha negou que tenha recebido propostas de Temer ou de seus emissários para comprar o seu silêncio. Disse também que não conhecia a irmã do operador Lúcio Funaro, Roberta Funaro, presa na Operação Patmos e acusada de ter recebido valores em nome do ex-deputado.

O depoimento durou cerca de uma hora e meia. A defesa tentou adiar a oitiva, argumentando que não teve acesso à íntegra do inquérito. Ainda assim, o ex-deputado resolveu fazer "uma declaração geral", segundo Rios, a respeito das acusações.

O ex-deputado, investigado na Operação Lava Jato, permanece preso em Curitiba. A defesa de Cunha já pediu a anulação da delação da JBS ao STF (Supremo Tribunal Federal).

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

CNI/Ibope aponta que 35% avaliam governo Bolsonaro como ótimo ou bom

BRASIL

Pelo Twitter, ministro do Meio Ambiente anuncia novos diretores do ICMBio

BRASIL

Partido de Bolsonaro já prevê emendas que enfraquecem reforma da Previdência

BRASIL

Gilmar Mendes afirma que Operação Lava-Jato virou partido político e cometeu 'notório abuso e desman

Mais Lidas