Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 16 de outubro de 2018

ELEIÇÕES 2018

Dos seis nomes para o governo,
só um registrou candidatura

Chapa do juiz federal aposentado Odilon de Oliveira é a única que consta no sistema do TRE

11 AGO 2018Por DA REDAÇÃO06h:00

Das seis opções que o eleitor tem em Mato Grosso do Sul, apenas um registrou sua candidatura no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) até sexta-feira (10). Conforme o sistema de divulgação de candidatura do tribunal, o juiz federal aposentado Odilon de Oliveira (PDT) oficializou seu nome na disputa pela administração do Estado.

Conforme divulgado nas convenções do dia 4 de agosto, estão na corrida eleitoral pelo Executivo estadual a senadora Simone Tebet (MDB), sendo o procurador de Justiça Sérgio Harfouche (PSC) seu vice; Odilon (PDT), como vice o bispo Marcos Antônio (PRB); o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e seu vice, o ex-prefeito de Dourados Murilo Zauith (DEM); o ex-prefeito de Mundo Novo Humberto Amaducci (PT) e sua vice, a advogada Luciene Silva; pelo Partido Verde vem Marcelo Bluma e sua vice compondo a chapa, Ana Maria Bernardelli (Rede); e finalizando os concorrentes, o ex-vice-prefeito de Ribas do Rio Pardo, João Alfredo Danieze e sua vice, Diná Freiras (PSOL). O partido do juiz aposentado também já oficializou a candidatura dos seus deputados federais, com oito nomes, e estaduais, com 27 nomes, à disposição do eleitor. Quem também já oficializou os nomes para a Câmara dos Deputados, em Brasília, foi o PRB, com três opções, e para Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, são 14 opções.

Para o Senado Federal, apenas três nomes já estão no sistema de candidatura do TRE. Compondo a chapa majoritária do PDT, o senador Pedro Chaves (PRB) tenta a reeleição, e o advogado Humberto Sávio Abussafi Figueiró, indicado pelo Podemos. Apoiando o PSDB na eleição proporcional, o PMB registrou o nome do ex-superintendente do Ibama Dorival Betini, em Brasília.

* Leia a reportagem, de Yarima Mecchi, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também