Campo Grande - MS, sexta, 17 de agosto de 2018

ASSEMBLEIA

Deputados se atacam com palavras por divergência de ideias sobre Lei Harfouche

Lídio Lopes e Pedro Kemp se criticaram durante sessão na Assembleia

13 JUN 2017Por IZABELA JORNADA12h:02

O projeto de lei Harfouche continua causando polêmica na Assembleia Legislativa. Deputados se atacaram com palavras em plenário ao divergirem ideias. "Esse país está assim por causa desse governo do PT que implantou essa liberalidade", disse o deputado estadual Lídio Lopes (PEN).

Autor do projeto, Lídio defende a disciplina nas escolas e alega que não é ação constrangedora dar consequências a alunos infratores. "Não tem nada anormal. Eu lavei louça lá nos EUA quando fui estudar. Se lavo pra eles não poderia lavar para meu povo?", disse.

Lídio também lembrou que, mesmo sendo advogado, vendia sorvetes nas ruas de Ribas do Rio Pardo, sua cidade natal. "Minha mãe ficou doente e eu fui no lugar dela. Não vejo nada demais em fazer esses serviços".

As explanações do parlamentar foram feitas para refutar declarações do petista Amarildo Cruz que trouxe a discussão à tona. "Sobre esse projeto absurdo, quero dizer que é desculpa para quem não tem coragem de assumir que quer à volta das palmatórias nas escolas", disse o petista.

Mas Lídio continuou com as contestações declarando que ações disciplinares, amparadas por lei, como consequências que serão dadas por diretores e professores não diminuem ninguém. "Cansei de lavar o que sujava em minha casa e é isso que eles vão fazer na escola", defendeu Lídio. 

Em resposta, o deputado Pedro Kemp (PT), declarou que Lídio desconhece seu próprio projeto.

"Deputado, você não leu a matéria do seu projeto? Lá diz sobre obrigação de penalidades", rebateu Kemp.

Porém Lídio se defendeu dizendo que as objeções "não passam de hipocrisia". "Essa Casa está indo na contramão da vontade da população. Vamos parar com essa conversa".

Lídio também criticou Kemp por reprovar oração que procurador de Justiça, Sérgio Harfouche, fez no estádio Douradão, durante palestra de conscientização para pais e alunos. "Deputado, se o Estado é laico, porque hoje temos feriado religioso na cidade?", indagou Lídio.

O parlamentar também questionou sobre kits gay que, segundo ele, são de autoria dos petistas. "Vocês defendem suas ideologias e agora maldosamente querem derrubar projeto".

Desafiando Lídio, Kemp cobrou respostas. "Por que não votou esse projeto logo? Projeto 'bom'!", ironizou o petista. 

Lídio finalizou dizendo que ainda não votaram porque vai apresentar emenda para que a lei abranja escolas particulares também.

Leia Também